.

.

Hora Certa pra você

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Cemei promove II Passeata da Inclusão e lança projeto para escolas


O projeto visa ensinar os estudantes a conviverem e respeitarem os alunos com necessidades especiais em Águas Lindas de Goiás.
A Prefeitura de Águas Lindas de Goiás por meio da Secretaria Municipal de Educação e do Centro Municipal de Educação Inclusiva (Cemei) promoveu na manhã desta quinta-feira (27) a II Passeata da Educação Inclusiva do município com o tema “Aprendendo a viver com diferenças”.
A primeira-dama e secretária de Assistência Social Aleandra de Sousa representou o prefeito Hildo do Candango e juntamente com as equipes percorreram a Avenida JK encerrando a caminhada em frente ao Cemei. Participaram ainda do evento o subsecretário de Educação Severino Nunes, o vereador Aluísio da Artec, educadores e a comunidade em geral. Atualmente o Cemei atende 730 alunos inscritos no programa.
“É muito importante este estímulo às pessoas com deficiência. O prefeito Hildo tem dado atenção especial a este público proporcionando um atendimento específico nas oficinas pedagógicas e no laboratório de informática com o desenvolvimento de atividades lúdicas e diversificadas”, disse a primeira-dama.
Para Aleandra a inclusão verdadeira é um desafio que deve ser enfrentado pelos governantes, pelos órgãos encarregados das normas educacionais, pelas direções das escolas, pela equipe escolar e principalmente pelos professores, pais e comunidade em geral.
Na oportunidade foi lançando o projeto de inclusão na escola que pretende, entre outras, incluírem os temas igualdade social, racial e cultural. O projeto é destinado aos alunos da Educação Infantil e Ensino Fundamental do 1º ao 5º ano, tendo o envolvimento com a comunidade escolar.
O projeto visa a prática do respeito às diferenças sociais, raciais e culturais, resgatar os valores fundamentais para uma boa convivência, gerar amizade fraterna e carinho, promover a igualdade social, perceber a importância de si mesmo e do próximo, valorizar o ambiente escolar, professores e funcionários e conscientizar de que a desqualificação como: apelidos depreciativos, brincadeiras e piadas que sugerem incapacidade, ridicularizarão de traços físicos e de cor trazem sofrimento ao ser humano.
“Assim poderemos combater o preconceito e a discriminação no tocante ao trato com os portadores de necessidades especiais junto à comunidade escolar”, frisa professora de recurso itinerante Josiana Andrade.
O Cemei tem uma equipe multiprofissional de educação como: psicólogo, fonoaudiólogo, assistente social, psicopedagogo e atendimento contínuo nas oficinas pedagógicas e laboratório de informática enquanto o aluno permanecer no ensino de 1º ao 5º ano da rede municipal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) Visitante

Deixe seu comentário.
Assim que o ler, publicarei e o responderei.
Volte para saber a resposta.

* Mas qualquer comentário ofensivo e insultuoso será
ignorado e não será respondido.

¸¸.•´¯`•.¸¸•.¸¸.•´¯`• Um abraço¸¸.•´¯`•.¸¸•.¸¸.•´¯`•

Leia também