A notícia em primeira mão: 01/09/20 - 01/10/20

terça-feira, 22 de setembro de 2020

Reconstrução de barragem permite retomada agrícola

 Cerca de 12 famílias de produtores rurais da comunidade agrícola Chácara 90, localizada no Núcleo Rural Rio Preto, na região de Planaltina, serão beneficiadas com a recuperação da barragem do Imburuçu. A obra, que começou em 10 de setembro, é uma ação integrada envolvendo servidores da Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-DF), do Departamento de Estradas de Rodagem (DER/DF) e Secretaria de Agricultura (Seagri-DF). Desde 2016, os agricultores da localidade sofrem com a falta d’água, elemento essencial para a produção agrícola. O problema começou com o rompimento do antigo represamento. O problema afetou diretamente a rotina das pessoas. Com a escassez de água para irrigar as plantações durante todo o ano, a produção caiu, assim como a mão de obra local. Sem trabalho na “roça”, muita gente foi buscar o ganha-pão na cidade, trabalhando como motorista de ônibus ou no mercado informal. A solução para o problema é a construção de um talude, ou seja, terreno inclinado que garante a estabilidade do aterro, paredões que permitem a concentração de grande volume de água. Com a barragem cheia, uma estrutura de tubulação colocada 500 metros mata adentro, vai levar água para os agricultores. Para tanto, máquinas como pá mecânica, retroescavadeira e caminhões da Novacap trabalham com a assistência de engenheiros da Emater-DF. A previsão é de que tudo fique pronto em duas semanas, com custo mínimo para o GDF. Serão geradas despesas apenas com a manutenção das máquinas, já que os profissionais envolvidos na operação são do governo. Produtor rural e cearense de Uajará, Luís Gonsaga Sousa tem 65 anos e desde 1979 mora na Chácara 90. Ele diz estar radiante com a iniciativa que vai beneficiar mais de 100 trabalhadores agrícolas. Gente como ele, que conhece bem a labuta com a terra, produz alimentos como tomate, pimentão, pepino, pimenta e feijão de corda.

segunda-feira, 21 de setembro de 2020

Estado de Goiás planeja manter teletrabalho após pandemia, alegando que produtividade dos servidores permaneceu alta

 Faz parte do planejamento do Governo de Goiás para o período pós-pandemia continuar com o regime de teletrabalho para os servidores públicos. A afirmação é do superintendente Central de Gestão e Controle de Pessoal da Secretaria de Estado da Administração (Sead), Luís Queiroz de Lima. Segundo ele, desde o ano passado, a nova gestão estadual já havia previsto o teletrabalho, mas “era algo para o futuro”. Inclusive, na nova lei do Estatuto do Servidor tem algumas áreas que poderiam aderir a esse regime de trabalho. Entretanto, a pandemia “mudou isso da noite para o dia”, e veio para mostrar aos gestores estaduais que o teletrabalho é perfeitamente viável na administração pública. PRODUTIVIDADE “Temos observado que a qualidade da prestação de serviço não diminuiu, pelo contrário, a produtividade do servidor continua em alta. E em alguns casos, até aumentou”, afirmou. Informou que a Sead, juntamente com as Secretarias de Desenvolvimento e Inovação (Sedi) e de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semads), está desenvolvendo um sistema informatizado de produtividade (dos servidores). O superintendente ponderou, porém, que cada área específica da administração pública estadual será avaliada, principalmente as atividades fins, onde talvez será mais difícil adotar o regime de teletrabalho. Já a parte administrativa, de gestão, isso é mais fácil, disse. “Estamos mapeando todos os serviços do Estado, todas as secretarias, para que a gente possa estudar isso com mais detalhe, para podermos saber efetivamente quais áreas poderemos colocar o teletrabalho ou não”, esclareceu. Adiantou que este trabalho está sendo conduzido pela Secretaria de Administração. APROVAÇÃO Luís Queiroz contou que a Sead realizou, em meados de maio e em junho últimos, pesquisa com os servidores estaduais para saber a opinião deles a respeito do teletrabalho. E o retorno, segundo diz, foi muito bom. “Praticamente 80% deles gostariam de continuar no teletrabalho depois da pandemia. A adesão foi bacana. O feedback tem sido muito positivo. Isso até nos motivou a continuar com esse estudo para permanecer com o teletrabalho no pós- -pandemia”, afirmou. Segundo ele, no que se refere à população, o atendimento nos Vapt Vupt aumentou, mesmo com o agendamento, o distanciamento social e a capacidade reduzida. “A gente observou que não houve prejuízo para o atendimento ao cidadão lá na ponta”, afirmou. Isso em todos os órgãos do Estado. Não houve reclamação a respeito disso, garantiu. O superintendente da Sead comentou também a redução registrada nas despesas de custeio da administração pública estadual, de abril a agosto últimos. Esse fato propiciou economia de R$ 83 milhões, na comparação com o mesmo período de 2019. Houve diminuição nas despesas, principalmente com água e esgoto, energia, serviço de telefonia, material de expediente e viagens (diárias, passagens e hospedagens). O valor economizado pelos cofres públicos estaduais corresponde a 41% de redução sobre o total das despesas de custeio de igual período de 2019.

domingo, 20 de setembro de 2020

O analgésico mais receitado do mundo induz comportamento de risco

 Também vendido com o nome comercial de Tylenol, entre outros, o medicamento leva o paciente a assumir mais riscos, informa uma nova pesquisa que mensurou alterações no comportamento de voluntários que tomaram a medicação. “O paracetamol parece fazer as pessoas sentirem menos emoções negativas quando consideram atividades arriscadas; elas simplesmente não se sentem tão assustadas”, afirma o Dr. Baldwin Way, neurocientista da Universidade Estadual de Ohio, EUA. “Com quase 25 por cento da população dos Estados Unidos tomando paracetamol todas as semanas, a percepção de risco reduzida e o aumento do risco podem ter efeitos importantes na sociedade”, diz o cientista. (Não foram encontrados dados sobre o consumo do paracetamol no Brasil.) As novas observações se juntam a outros estudos recentes que indicam que o paracetamol altera a atividade de inúmeros processos psicológicos, reduzindo a aceitação das pessoas a sentimentos feridos com redução da empatia e alteração de funções cognitivas. O novo estudo, similarmente, mostrou redução na capacidade afetiva da percepção e avaliação de riscos sob influência do paracetamol. Os efeitos talvez sejam leves, mas notáveis já que o paracetamol é um componente de inúmeros medicamentos vendidos sem receita (mais de 600 remédios diferentes nos EUA). O ESTUDO Vários testes foram realizados com 500 voluntários que haviam tomado mil miligramas (1 g) de paracetamol, que é a dose máxima para adultos. Um grupo de controle recebeu placebo: remédio falso que não possui efeito farmacológico. Todos os voluntários tinham que bombear ar em uma bexiga virtual na tela do computador. Cada bombada dava dinheiro imaginário ao voluntário. O propósito era inflar a bexiga ao máximo, ganhando o máximo de dinheiro. Mas se a bexiga estourasse ficariam sem nada. “Se você é avesso ao risco, pode bombear algumas vezes e depois decidir pegar o dinheiro porque não quer que a bexiga estoure perdendo seu dinheiro”, afirma Way. OS RESULTADOS PREOCUPAM Os resultados mostraram que os voluntários que haviam ingerido paracetamol agiam de maneira mais arriscada em comparação a cautela daqueles que haviam tomado placebo, isto é, estouraram mais bexigas. “Mas para quem está tomando paracetamol, conforme a bexiga fica maior, acreditamos que eles têm menos ansiedade e menos emoção negativa sobre o tamanho do balão e a possibilidade de estourar.” Em outro experimento os voluntários responderam perguntas que pesquisavam a percepção de risco em cenários imaginários como apostar o salário de um dia em um jogo de esporte, pular de bungee jump de uma grande altura ou dirigir sem cinto. Em uma das perguntas a ingestão de paracetamol mostrou relação com a diminuição do risco percebido em comparação ao grupo de controle, mas outra pesquisa similar não viu este efeito. Em linhas gerais foi observada uma relação significativa entre o consumo do paracetamol e o comportamento mais arriscado. Mas pode ser um efeito leve. Para os pesquisadores pode ser que o efeito esteja ligado a uma ansiedade menor. “Pode ser que à medida que a bexiga aumenta de tamanho, aqueles que tomaram placebo sintam uma quantidade crescente de ansiedade de um possível estouro”, afirmam os cientistas. “Quando a ansiedade se torna excessiva, eles encerram o teste. O paracetamol pode reduzir essa ansiedade, levando a um comportamento mais arriscado. NOVAS PERGUNTAS Novas pesquisas, de acordo com os cientistas, vão abordar explicações mais específicas dos mecanismos psicológicos/ biológicos que causam estes efeitos. No futuro os pesquisadores também poderão avaliar em mais detalhes os efeitos do paracetamol no alívio da dor já que, em muitos casos, o medicamento não é melhor do que placebo, pode ser ineficaz e aumenta o risco de alguns problemas de saúde. Mesmo que essas novas descobertas possam ter sérias implicações o paracetamol é um medicamento essencial segundo a OMS e o mais indicado para aliviar sintomas de Covid-19. Segundo o pesquisador principal do estudo talvez tenhamos que reavaliar essas indicações. “Talvez alguém com sintomas leves de Covid-19 não pense que é tão arriscado sair de casa e se encontrar com pessoas se estiverem tomando paracetamol”, considerou Way. “Nós realmente precisamos de mais pesquisas sobre os efeitos do paracetamol e outras drogas sem receita nas escolhas e riscos que corremos.” Os estudo foi publicado na revista Social Cognitive and Aff

sábado, 19 de setembro de 2020

Governo anuncia abertura de inscrições para programa

 O governador Ronaldo Caiado e o presidente do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-GO) anunciaram, na última sexta-feira (18), durante a abertura da Semana Nacional de Trânsito, o prazo de inscrições do programa CNH Social. Serão ofertadas 4.014 vagas para as modalidades Estudantil, Rural e Urbana. A iniciativa visa capacitar e qualificar pessoas de baixa renda, gerando novas oportunidades de trabalho e inclusão. O evento foi realizado no Auditório do Detran-GO. O programa oferece aos contemplados a isenção das taxas do Detran- -GO (Inclusão no Renach, Licença de Aprendizagem de Direção Veicular, agendamento de prova teórica, agendamento de exame prático). Eles também ficarão isentos de pagar pelos exames médico e psicológico, junta médica, quando se tratar de candidato com deficiência, e toxicológico, exigido para categoria profissional. Por meio de parcerias, são oferecidos ainda o curso teórico, de legislação de trânsito, as aulas práticas de direção e até três retestes. A capacitação de condutores é um dos pilares da segurança viária. Por isso, a data escolhida para o anúncio coincide com a abertura da Semana Nacional de Trânsito que, neste ano, aborda o tema “Perceba o risco, proteja a vida”. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, no ano passado, 1.405 pessoas morreram vítimas de acidentes de trânsito em Goiás. Apesar da queda em relação a anos anteriores, quando chegaram a ser registrados mais de 2.000 óbitos, o número é considerado elevado, visto que a maioria dos sinistros poderia ser evitada com a observância das leis de trânsito.

sexta-feira, 18 de setembro de 2020

Semana Nacional de Trânsito começa hoje, sexta-feira (18)

 O Detran-DF abre oficialmente hoje sexta-feira (18), entre 10h e 12h, a Semana Nacional de Trânsito 2020. Excepcionalmente este ano, devido ao período de isolamento social, causado pela pandemia de Covid-19, o evento acontecerá por meio de um webinar, que será transmitido pelo canal do Detran no YouTube. Instituída pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB) em 1997, a Semana Nacional de Trânsito acontece anualmente entre os dias 18 e 25 de setembro, com o objetivo de incentivar e promover junto à sociedade um trânsito mais seguro. O tema deste ano é ‘Perceba o risco. Proteja a vida’. Com uma extensa programação, a Diretoria de Educação do Detran-DF dará início às atividades da SNT, das 15h às 16h desta sexta-feira (18), com uma ação educativa na via localizada entre a Torre de TV e a Funarte. Ao longo da semana, o cronograma prevê a realização de diversos tipos de ações como o Projeto Bike em Dia, Dia Mundial sem Carro, lives sobre segurança de ciclistas e motociclistas e o lançamento do podcasts do Detran-DF. As equipes de educação estarão atuando em diferentes Regiões Administrativas, em parques e ciclovias do Distrito Federal. D

quinta-feira, 17 de setembro de 2020

Novo decreto autoriza retomada de cursos profissionalizantes, clubes recreativos e escolinhas de esporte

  Novo decreto assinado pelo prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB) autoriza a retomada dos cursos profissionalizantes, clubes recreativos e escolinhas de iniciação esportiva para alunos acima de 12 anos de idade, seguindo o plano municipal de reabertura gradual das atividades em Goiânia, mediante a condição de diminuição da curva de contágio e a capacidade de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e enfermarias, tanto na rede pública quanto na privada. Consta no Decreto n° 1655, que o Gabinete de Gestão de Crise deferiu as solicitações após considerar a atual realidade epidemiológica na capital, com análise sistemática da capacidade assistencial pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por meio de notas técnicas, portarias e outros atos correlatos. Os cursos profissionalizantes de capacitação (cursos livres) são frequentados por pequenos grupos de alunos simultaneamente que estão com grande demanda reprimida, já que são importante ferramenta para reinserção no mercado de trabalho. As escolinhas de iniciação esportiva também são frequentadas por pequenos grupos de alunos simultaneamente e oferecem atividades de grande valia psicológica e física. Já a reabertura dos clubes recreativos somente fica permitida para as atividades que já estão autorizadas a funcionar fora daqueles ambientes, como academias, quadras poliesportivas, bares, restaurantes e outras autorizadas. O decreto explica que as “mencionadas atividades representam baixo reflexo no uso de transporte público coletivo e encontram-se em situação de colapso econômico em face da suspensão do acesso ao público alvo por mais cinco meses, o que gera a necessidade premente de demissõe

quarta-feira, 16 de setembro de 2020

Cantor Parrerito, do Trio Parada Dura, morre aos 67 anos, vítima da Covid-19

 


O músico, que entrou no grupo para substituir seu irmão, era diabético e, por isso, fazia parte do grupo de risco da doença. “É com muita tristeza e o coração apertado que informamos o falecimento do cantor Eduardo Borges, conhecido como Parrerito, neste domingo, 13 de setembro, em Belo Horizonte (MG). Voz principal do Trio Parada Dura, Parrerito morreu por volta das 22h após complicações causadas pela Covid-19”, diz o comunicado assinado pelo Trio Parada Dura. O músico foi internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no último dia 29, em estado grave, mas estável. “Batalhou muito, mas infelizmente não resistiu às complicações da doença. Familiares e a equipe Trio Parada Dura agradecem todas as correntes de orações e fé formadas durante a luta de Parrerito pela vida. Elas mostraram o quanto ele era tão querido e estimado por todos. E é desta forma que vamos sempre lembrar dele”, diz a nota. “Igual a andorinha, Parrerito parte voando e deixa um Brasil inteiro já com saudade de sua voz que por quase quatro décadas marcou gerações no Trio Parada Dura. Ficará para sempre em nossos corações e na memória da música sertaneja. Parrerito deixa mulher, filhas e netas que eram sua grande paixão. Vai com Deus, Parrerito! Sentiremos muito sua falta”, completa os integrantes do trio. Parrerito era diabético e, por isso, fazia parte do grupo de risco da Covid-19. Ele foi entubado no último dia 1º após mostrar piora no quadro respiratório. O Trio Parada Dura chegou a se apresentar em uma live no domingo (30/8), sem Parrerito.

terça-feira, 15 de setembro de 2020

Novos cartões para usuários do transporte coletivo

 Já estão disponíveis os novos modelos do Cartão Mobilidade, que dão acesso ao Sistema de Transporte Público Coletivo do Distrito Federal. São quatro tipos com novo visual, todos válidos para acesso integrado aos ônibus e ao metrô. As novas mídias estão sendo lançadas pelo BRB Mobilidade, em parceria com a Secretaria de Transportes e Mobilidade. A medida é mais um incentivo para que as pessoas paguem suas passagens por meio eletrônico, de acordo com as orientações das autoridades de saúde. O uso do cartão, em vez de dinheiro, ajuda a evitar o contágio da Covid-19. O usuário que já possui qualquer categoria do Cartão Mobilidade não precisa trocá-lo, pois o antigo continuará funcionando normalmente. A substituição será gradual. As novas mídias estarão disponíveis para quem for adquiri-las pela primeira vez ou para aqueles que pediram segunda via. Além de ajudar a reduzir a transmissão do novo coronavírus, o uso do Cartão Mobilidade traz vantagem financeira para o usuário. O cartão permite que o passageiro utilize os benefícios da integração – o que não é possível para quem paga a passagem em dinheiro. Com ele, em vez de pagar duas ou três passagens, a pessoa pode fazer até três embarques – desde que sejam em sentido contínuo e no prazo máximo de até três horas entre o primeiro e o último embarque. É possível combinar, por exemplo, uma parte do trajeto por meio de micro-ônibus, depois embarcar no metrô ou BRT até a Rodoviária, e completar o percurso em outra linha de ônibus. A integração pode ser feita em qualquer parada de ônibus, estações do Metrô e nos terminais rodoviários do Distrito Federal. O valor máximo da passagem integrada para quem utiliza cartão é de R$ 5,50, mesmo que se utilize em trajetos de diferentes preços. Por exemplo: se o usuário usa uma linha circular interna, que custa R$ 2,70, depois integra com o metrô, a R$ 5,50 e, por último, embarca em uma linha de curta duração, a R$ 3,80, o valor final de toda a viagem será de R$ 5,50 desde que utilize o cartão. Se essa mesma pessoa optasse por usar dinheiro, pagaria, pelos mesmos trajetos, R$ 12.

segunda-feira, 14 de setembro de 2020

Investigação do MP aponta que sino adquirido para a nova Basílica de Trindade custou R$ 17 milhões

 Durante entrevista coletiva realizada na tarde da última quinta-feira (10), o Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) afirmou que o maior sino suspenso do mundo, previsto para ser instalado na nova Basílica de Trindade, custou R$ 17 milhões. O valor é quase o triplo daquele apontado pela Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe) em 2014, quando a pela foi comprada. Segundo a entidade, teriam sido gastos R$ 6 milhões na compra do produto. A Afipe é alvo da Operação Vendilhões, deflagrada no fim de agosto pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público de Goiás (MP-GO). Na época foram feitas buscas e apreensões e recolhidos documentos, computadores, pen drives, telefones celulares e até uma caneta espiã, que estava armazenada no alojamento do padre Robson Pereira de Oliveira. Segundo o promotor de Justiça Sandro Henrique Silva Halfeld Barros, que atua na investigação, os equipamentos estão passando pelo procedimento denominado espelhamento pela Superintendência de Polícia Técnico-Científica (SPTC). De acordo com o promotor de Justiça, a Lei nº 13.964/2019, conhecida por Pacote Anticrime, introduziu várias sistemáticas no processo penal, entre eles a cadeia de custódia, que é um instrumento de garantia de prova. Segundo ele, todo o conteúdo de equipamentos eletrônicos tem de ser espelhado antes do manuseio, para garantir a integridade da prova. Somente depois de concluído este trabalho é que as informações serão analisadas. A investigação, no entanto, segue com depoimentos de envolvidos e testemunhas – já foram ouvidas pelo menos dez pessoas –, informou Sandro Halfeld. Segundo ele, o foco das investigações do Gaeco são possíveis desvios de recursos, ocultação de valores, apropriação indébita e falsidade ideológica. Segundo Sandro Halfeld, está sendo verificado se houve transferência de dinheiro para terceiros, que teriam atuado como laranjas na aquisição de bens. O promotor reforçou reforçou também que todos os indícios de crime estão sendo apurados e que, assim que todo o material for analisado e os envolvidos prestarem depoimento, poderá ser oferecida denúncia. SINO Chamado de Vox Patris, em homenagem ao Divino Pai Eterno, o sino é composto 78% por cobre e 22% por estanho e conta com imagens em fundição, na parte externa, que narram a história da Santíssima Trindade desde 1840 até a construção do santuário em Trindade. Importado da Cracóvia, na Polônia, o sino tem 4 metros de altura, 4,5 metros de diâmetro e 55 toneladas. Ele começou a ser produzido há dois anos.

domingo, 13 de setembro de 2020

Reserva em Niquelândia promove conservação, nova economia e desenvolvimento sustentável

 O segundo maior bioma da América do Sul tem seu valor exaltado neste dia 11 de setembro, quando se comemora o Dia Nacional do Cerrado. Dados do Ministério do Meio Ambiente apontam que o Cerrado possui a menor porcentagem de áreas sobre proteção. Dentro desse contexto, o Legado Verdes do Cerrado, Reserva Particular de Desenvolvimento Sustentável de propriedade da CBA (Companhia Brasileira de Alumínio) localizada em Niquelândia (GO) destaca- -se como um case que alia conservação, desenvolvimento sustentável e a nova economia integrada com atividades tradicionais. Há três anos, são realizadas na área de 32 mil hectares – sendo aproximadamente 80% de Cerrado nativo – , iniciativas essenciais para a conservação do bioma, implementando uma nova forma de uso e ocupação do solo, onde 20% do seu espaço é destinado às economias tradicionais (pecuária, agricultura e silvicultura), usado de maneira inteligente e rentável para custear os outros 80%, que representam a área de cerrado nativo conservado. A reserva é também um grande laboratório de pesquisas a céu aberto para estudantes e profissionais que, em parceria com a Universidade Federal de Goiás (UFG), desenvolvem projetos relacionados ao Cerrado. “Acreditamos que podemos ter uma sociedade melhor a partir do momento em que mudamos nossa relação com o Cerrado. O Legado Verdes do Cerrado tem um papel importante não só em promover ações de conservação, mas também em levar o Cerrado para perto das pessoas, seja por meio de pesquisas científicas, seja por ações de reflorestamento ou paisagismo urbano com mudas nativas e ações educativas para a população. A filosofia do Legado é sempre integrar pesquisa, produção e relacionamento social para que essas três vertentes possam melhorar a sustentabilidade dos locais em que nós habitamos e trabalhamos”, explica o diretor da Reservas Votorantim, David Canassa. AÇÕES Na nova economia, desenvolvimento sustentável e conservação andam de mãos dadas. No sistema agroflorestal implantado no Legado, os ecossistemas naturais são replicados, o que otimiza o uso da terra e concilia a conservação ambiental com a produção de alimentos. Antes ocupada pelo plantio de eucalipto, a agrofloresta do Legado Verdes do Cerrado tem hoje seis hectares de área cultivada com previsão de expansão a uma área total de 17 hectares ainda neste ano. Mais de 5 mil mudas já foram plantadas, de espécies como limão, banana, goiaba, mandioca, além de espécies do Cerrado, como cajuzinho- -do-cerrado e baru. Além de ser uma alternativa de produção sustentável de alimentos, a agrofloresta é um atrativo para a fauna, na medida em que possibilita uma nova dinâmica que reequilibra o ecossistema. No Legado, a área cultivada recebe visita constante de antas, raposas, catitus, tatus e diversas espécies de pássaros nativos. Conforme explica David Canassa, a reserva ambiental também tem papel importante para a água: “As florestas possuem papel fundamental na conservação e manutenção das águas, seja para as cidades, para abastecimento, ou para o campo, para produção de alimentos”. Neste sentido, o Legado Verdes do Cerrado já promoveu, em parceria com a Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg) jovem de Niquelândia e com produtores rurais locais, a recuperação de nascentes com a plantação de 1,4 mil mudas nas regiões do córrego Buriti, do córrego do Taquari e do Rio Traíras, de onde é captada toda a água que faz o abastecimento público do município. As mudas utilizadas foram produzidas no Centro de Produção de Biodiversidade (CPB) do Legado, que trabalha com espécies nativas. A produção do CPB teve início em 2018 e cresceu em 2019, consolidando a iniciativa como um novo e promissor negócio. O CPB foi ampliado chegando a uma capacidade de produção de 300 mil mudas/ano, atendendo à demanda de projetos de reflorestamentos principalmente nos estados de Goiás e Minas Gerais. No local são cultivadas 50 espécies diferentes, entre elas aroeira, angico, baru, canela-de-ema, pitomba, guariroba, pequi e ipê. As plantas produzidas atendem à demanda de parceiros da Reserva, instituições e proprietários rurais, além de prefeituras em projetos de recuperação da flora e paisagismo urbano. As sementes para produção das mudas são coletadas na própria reserva. Desse projeto resulta um banco de sementes que já chega a 1,9 milhão de amostras de espécies nativas. A iniciativa tem papel fundamental na conservação da biodiversidade, pois quando conservadas corretamente, algumas sementes podem ficar guardadas por décadas. O banco de sementes contribui, ainda, para o melhoramento genético, já que por meio da seleção de sementes é possível reduzir a suscetibilidade das plantas a pragas ou a mudanças climáticas. SOBRE O LEGADO VERDES DO CERRADO O Legado Verdes do Cerrado, com aproximadamente 80 % da área composta por cerrado nativo, é uma área de 32 mil hectares da CBA - Companhia Brasileira de Alumínio, uma das empresas investidas no portfólio da Votorantim S.A. A cerca de três horas de Brasília, é composta por dois núcleos. No núcleo Engenho, nascem três rios: Peixe, São Bento e Traíras, de onde é captada toda a água para o abastecimento público de Niquelândia/GO. Nele está a sede do Legado Verdes do Cerrado onde, em 23 mil hectares, são realizadas pesquisas científicas, ações de educação ambiental e atividades da nova economia, como produção de plantas e reflorestamento; enquanto 5 mil hectares são áreas dedicadas à pecuária, produção de soja e silvicultura. O núcleo Santo Antônio Serra Negra, com 5 mil hectares, mantém o cerrado nativo intocado e tem parte de sua área margeada pelo Lago da Serra da Mesa. Acompanhe o Legado Verdes do Cerrado no Facebook e Instagram: www.facebook.com/legadoverdesdocerrado www.instagram. com/legadodocerrado SOBRE A CBA Desde 1955, a Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) produz alumínio de alta qualidade de forma integrada e sustentável. Com capacidade instalada para produzir 100% de energia vinda de hidroelétricas próprias, a CBA minera a bauxita, transforma em alumínio primário (lingotes, tarugos, vergalhões e placas) e produtos transformados (chapas, bobinas, folhas e perfis). Em estreita parceria com seus clientes, a CBA desenvolve soluções e serviços para os mercados de embalagens e de transportes, conferindo mais leveza, durabilidade e uma vida melhor. A CBA está bem perto de você. Acesse: www.cba. com.br.

sábado, 12 de setembro de 2020

ONG realiza acompanhamento de famílias carentes em bairro de Goiânia

 Desde o início da pandemia a ONG Vida à Vida tem intensificado as ações para minimizar os impactos na vida das famílias do bairro Jardim do Cerrado. No próximo sábado (12), a organização realizará uma ação com as famílias no setor, levando cestas básicas e produtos de higiene e limpeza. O objetivo é ajudar os moradores em situação de vulnerabilidade, que muitas vezes não têm acesso a cuidados e serviços básicos. Por meio de voluntários, os moradores terão acesso aos atendimentos essenciais, como médicos, dentistas, psicólogos e advogados na porta de suas casas para evitar aglomerações. “Ainda estamos em um momento delicado e essas ações são uma forma de não abandonar as pessoas que precisam de ajuda. Este é um momento de agir” afirma Carolina Farinelli, presidente da organização. Para ajudar o projeto basta acessar a página do Instagram (@vida.a.vida) ou entrar em contato pelo telefone: (62) 2020- 0433. A ONG Vida à Vida recebe qualquer tipo doação: como cobertores, roupas, comida,

sexta-feira, 11 de setembro de 2020

Governo cria grupo para coordenar vacinação contra covid-19

 O governo federal instituiu um grupo de trabalho interministerial para coordenar a aquisição e a distribuição de vacinas “com qualidade, eficácia e segurança comprovadas” contra o novo coronavírus. A resolução do comitê de crise da Presidência da República foi publicada Diário Oficial da União. Sob coordenação do Ministério da Saúde, o grupo deverá colaborar no planejamento da estratégia nacional de imunização voluntária contra a covid-19 e terá duração de até noventa dias, podendo ser prorrogado por igual período. Dezenove pessoas farão parte do grupo: três da Casa Civil; um do Ministério da Defesa; três do Ministério das Relações Exteriores; um do Ministério da Economia; quatro do Ministério da Saúde; um do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações; um da Controladoria-Geral da União; um do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos; um da Subchefia para Assuntos Jurídicos da Secretaria-Geral da Presidência; dois da Secretaria de Governo; e um da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Atualmente, quatro estudos de vacinas contra o novo coronavírus estão sendo realizados no Brasil. Em junho, a Anvisa autorizou o ensaio clínico da vacina desenvolvida pela empresa AstraZeneca e pela Universidade de Oxford, do Reino Unido; no dia 3 de julho, o da vacina desenvolvida pela Sinovac Biotech, da China, em parceria com o Instituto Butantan; no dia 21 de julho, o das vacinas desenvolvidas pela BioNTech, da Alemanha, e Wyeth/Pfizer, dos Estados Unidos; e no mês passado, o da vacina da Jansen-Cilag, unidade farmacêutica da Johnson & Johnson. Nesta semana, entretanto, a AstraZeneca suspendeu os testes globais de sua candidata a vacina após um dos voluntários, no Reino Unidos, apresentar sintomas adversos. Essa vacina é uma das principais apostas do governo brasileiro para a imunização contra a covid-19 no país.

quinta-feira, 10 de setembro de 2020

Vacinação antirrábica começa na próxima segunda-feira (14/09) e terá drive-thru

  A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), inicia na próxima segunda-feira ,14, a Campanha de Vacinação Antirrábica para cães e gatos que seguirá até 11 de dezembro. Até a sexta-feira,16, as doses serão ministradas em três locais: Parque de Exposições Agropecuário (Pecuária) no setor Nova Vila, CEMEI João Paulo I (Jardim América) e Jardim Botânico (Pedro Ludovico), das 9h às 16h. No Parque de Exposições e Jardim Botânico a vacina também será disponibilizada no sistema drive-thru. Durante toda a campanha haverá um posto fixo de vacinação na diretoria de Vigilância em Zoonoses, Rodovia GO-020, Km 08, setor Vale das Pombas, em Goiânia e vários postos temporários em diversas regiões da cidade de maneira escalonada, iniciando pelas regiões Sul e Central. Posteriormente serão contempladas as regiões Norte, Leste, Oeste, Noroeste e Sudoeste, nesta sequência. A vacina é gratuita e pode ser aplicada em cães e gatos a partir de três meses de idade. Os responsáveis pelos animais deverão utilizar máscara durante sua permanência nos postos de vacinação. Os locais serão preparados para realizar a imunização dos animais de forma segura, atendendo aos protocolos de segurança. E, por questões de segurança, não haverá o dia D de vacinação como sempre ocorre. O gerente de Controle de População Animal da Vigilância em Zoonoses, Isaías de Araújo, alerta para a importância da vacinação na prevenção da raiva animal e humana. “Vacinando o animal a pessoa está protegendo seu pet e também sua família, pois a raiva é uma zoonose que acomete todos os mamíferos e em seres humanos é letal”, alerta. CASOS DE RAIVA O último caso de raiva humana em Goiânia foi em 1999 e o último de raiva canina no ano de 2000. Por não ter sido registrado nenhum caso após essas datas, as campanhas de vacinação antirrábica deixaram de ser realizadas nos anos de 2011, 2015 e 2019. A última foi em 2018 quando foram vacinados um total de 163.746 cães e gatos. Confira os locais de vacinação nas regiões Sul e Central: 14 a 26 de setembro (exceto domingos): n Parque de Exposições - Nova Vila (drive-thru e pedestre); CEMEI João Paulo I - Jd. América (pedestre); Jardim Botânico - Pedro Ludovico (drive-thru e pedestre). 19 e 26 de setembro: n Esc. Mun. Jesuina de Abreu - Pq Amazônia (pedestre); Esc. Mun. Dona Belinha - Vila Izaura (pedestre). Data: 14 de setembro Horário: 9h às 16h Local: Parque de Exposições (Pecuária) - Nova Vila Contato: Izaías Ferreira - gerente de Controle de População Animal

quarta-feira, 9 de setembro de 2020

Projeto de combate a disseminação de informações falsas deve ser votado este ano

 - O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que o projeto que trata do combate à disseminação de informações falsas, as chamadas fake news, por meio de redes sociais e serviços de mensagem, deve ser votado ainda este ano. Ele acredita que o projeto entrará em debate em cerca de duas semanas. Aprovado em junho, pelo Senado, o projeto foi enviado à Câmara que criou um grupo de trabalho para sugerir mudanças no texto. “Eu acho que mais uma duas semanas, no máximo, certamente o grupo de trabalho vai ter uma proposta para apresentar aos líderes e, a partir daí, mais umas duas semanas para votar, eu acho que umas quatro semanas, eu espero, que a gente consiga avançar”, disse Maia durante um webinar organizado pela Fundação Getulio Vargas (FGV) para debater o tema. “Vamos colocar o processo na pauta e votar o projeto, certamente vai ser bem antes do final do ano”, acrescentou. De acordo co o deputado, o projeto só não será votado neste ano se houver uma maioria contrária à matéria em plenário. “Um texto bem construído e bem dialogado. Eu acho que vai trazer a maioria da Câmara para sua aprovação”, afirmou. Durante o evento, Maia voltou a defender que as plataformas de mídias sociais tenham algum tipo de responsabilização por conteúdos falsos ou que gerem desinformação. Maia disse que as plataformas devem ser responsabilizadas como “qualquer outro meio de comunicação”, a exemplo de jornais e telejornais. “As plataformas vão sempre dizer que não têm responsabilidade, mas eu acho que, como qualquer meio de comunicação, vai ter que se construir um caminho para que todos tenham responsabilidade também”, afirmou. “Não é fácil, mas se não se conseguir uma solução vamos ter esse ambiente de fake news continuando a contaminar o ambiente da sociedade, criando narrativas pesadas”, opinou Maia. O presidente da Câmara dos Deputados comentou ainda sobre um comunicado que recebeu do Google, no final de agosto, onde a empresa critica a inclusão dos mecanismos de buscas no projeto, com o argumento de que a medida seria “prejudicial ao combate à desinformação ao limitar acesso a uma variedade de fontes de informação”. “Recebi, encaminhei para o grupo de trabalho, e eles vão avaliar essa posição do Google. Eu não tenho posição fechada com nenhuma tese”, disse. A medida é uma resposta à iniciativa de 27 entidades de comunicação, que formaram uma coalizão em busca de apoio às medidas de combate a notícias falsas. A coalizão solicitou a Maia, também através de carta, a inclusão do Google e de outros buscadores no projeto. A empresa disse ainda que a inclusão das ferramentas de busca no projeto de lei, sem levar em consideração as medidas adotadas em suas plataformas para combater a desinformação, poderia fazer com que a futura lei já nascesse obsoleta. O pedido de inclusão das plataformas de busca no projeto foi feito por um conjunto de 27 entidades, entre elas, a Associação Nacional de Jornais (ANJ) e a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert). As entidades argumentam que os mecanismos de busca deveriam constar no projeto de lei uma vez que eles coletam dados dos usuários e veiculam anúncios. PROJETO O Projeto de Lei (PL) 2.630/2020, que propõe medidas de combate à propagação de notícias falsas, estabelece normas para trazer transparência a provedores de redes sociais e de serviços de troca de mensagens privada. O PL busca o combate à divulgação de notícias falsas postadas em anonimato ou com o uso de perfis falsos e de disparos em massa. Ao mesmo tempo, o texto fala em garantir liberdade de expressão, comunicação e manifestação do pensamento. As empresas responsáveis pelas redes sociais e serviços de troca de mensagens estão entre as das mais afetadas pelo projeto. Cabe a elas uma série de obrigações para evitar a disseminação de conteúdos falsos e difamatórios.

terça-feira, 8 de setembro de 2020

Farmacêuticas da Europa e dos EUA prometem rigor em testes para vacina

 Nove desenvolvedores de vacinas dos Estados Unidos e da Europa prometeram manter os padrões científicos que suas imunizações experimentais contra Covid-19 precisam respeitar em meio a uma corrida global acelerada para conter a pandemia. As farmacêuticas, entre elas Pfizer, GlaxoSmithKline e AstraZeneca, emitiram um comunicado conjunto com um “compromisso histórico de preservar a integridade do processo científico enquanto trabalham com vista a registros e aprovações regulatórias globais em potencial das primeiras vacinas contra Covid-19”. A medida incomum de prometer obedecer regras bem estabelecidas sublinha um debate altamente politizado sobre qual ação é necessária para refrear com rapidez a disseminação da doença mortal e reativar os negócios e o comércio mundiais. No mês passado, o chefe da Agência de Alimentos e Remédios norte-americana (FDA) disse que o processo de aprovação normal pode ser contornado para uma vacina contra Covid-19, contanto que as autoridades se convençam de que os benefícios superam os riscos, levando a Organização Mundial da Saúde (OMS) a pedir cautela. Desenvolvedores de todo o mundo ainda têm que produzir dados de testes de larga escala que de fato provem infecções em participantes, mas a Rússia concedeu aprovação a uma vacina contra Covid-19 no mês passado, levando alguns especialistas ocidentais a criticarem a falta de testes. O chefe da chinesa Sinovac Biotech disse que a maioria de seus funcionários e seus familiares já tomou a vacina experimental da empresa, desenvolvida graças ao programa de uso exclusivamente emergencial do país. “Queremos que se saiba que, também na situação atual, não estamos dispostos a comprometer a segurança e a eficiência”, disse o cossignatário Ugur Sahin, executivo-chefe da BioNTech BNTX.O, parceira alemã da Pfizer. “Tirando a pressão e a esperança de uma vacina estar disponível o mais rápido possível, também existe muita dúvida entre as pessoas de que algumas etapas de desenvolvimento possam ser omitidas aqui”, acrescentou. BioNTech e Pfizer aumentaram a perspectiva de revelar dados de testes cruciais em outubro, o que pode colocar o tema no cerne da agressiva campanha presidencial dos EUA antes da eleição de 3 de novembro. De acordo com o comunicado, as nove farmacêuticas se comprometeram a seguir diretrizes estabelecidas por autoridades regulatórias especializadas, como a FDA. Entre outros obstáculos, a aprovação precisa se basear em testes clínicos amplos e diversificados com grupos comparativos que não recebem a vacina em questão. Os participantes e aqueles que trabalham no teste não podem saber a qual grupo pertencem, segundo o compromisso.

segunda-feira, 7 de setembro de 2020

Autuações e multas em loteamentos irregulares na região da Chapada dos Veadeiros já ultrapassam R$ 4 milhões

 Autuações e multas aplicadas pelos fiscais da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) em loteamentos irregulares na região da Chapada dos Veadeiros já ultrapassam R$ 4 milhões. A Operação Candombá, que visa combater especulação imobiliária em áreas de preservação ambiental localizadas no município de Alto Paraíso de Goiás, teve início no dia 25 de agosto e terminou nesta sexta-feira (04/09). Entre os crimes ambientais alvos da fiscalização é observada, principalmente, a abertura de parcelamentos irregulares do solo para fim urbano dentro de áreas destinadas apenas para uso rural; também loteamento de solo abaixo da fração permitida para áreas rurais; supressão de vegetação nativa do Cerrado para abertura de arruamentos e lotes, captação de água sem outorga, dentre outros usos ilegais que já foram apurados como uso de fogo em vegetação nativa e pastagens. Junto a isso, também estão sendo checados alvos recentes de desmatamento levantados por meio de imagens de satélite. De acordo com o superintendente de Proteção Ambiental e Desenvolvimento Sustentável, Robson Dizarz, 31 alvos são investigados pelas práticas criminosas na Área de Proteção Ambiental (APA) de Pouso Alto, que fica na mesma região do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (PNCV). O valor total das autuações e muitas até a noite desta terça-feira era de exatos R$ 4.051.000,00. AÇÕES “O trabalho vai além da fiscalização, uma vez que temos de descobrir quais foram as pessoas que fracionaram o terreno e conseguir documentos comprobatórios do crime ambiental, por exemplo”, conta o superintendente. E completa: “além das autuações e aplicação de multas, as equipes realizam o embargo das terras para que as irregularidades encontradas sejam cessadas imediatamente. Ainda, são apreendidos equipamentos utilizados no desmatamento irregular, a exemplo de tratores e motosserras”. Na semana passada a secretária Andréa Vulcanis esteve em Alto Paraíso de Goiás e acompanhou o trabalho das equipes de fiscalização. Na ocasião ela ressaltou que esse tipo de ação irregular, em uma das áreas mais preservadas do Cerrado goiano, gera um “impacto ambiental muito expressivo, seja pela própria ampliação desordenada da área urbana, seja por suas consequências diretas, como impermeabilização de solo e redução da disponibilidade hídrica, afetando, assim os corredores ecológicos que existem de fauna e flora no local”, explica. PÚBLICO-ALVO Durante o trabalho de fiscalização realizado pela Semad, na primeira semana as equipes contaram com reforço de agentes da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema), da Polícia Civil. Em campo, as equipes verificaram que quase a totalidade de pessoas que compraram essas áreas são de Brasília, no Distrito Federal. Fatores como proximidade, estilo de vida e alto poder aquisitivo são considerados pelos fiscais como determinantes para que esses compradores sejam alvo certo da forte especulação imobiliária que tem crescido nos últimos tempos na região da Chapada dos Veadeiros. Em relação a Goiânia, os municípios que integram o PNCV, como Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante, Teresina de Goiás, Nova Roma e São João d’Aliança ficam bem mais próximos de Brasília. O primeiro, por exemplo, onde as equipes atuam nesse momento, dista cerca de 230 km da capital do país. Além da análise administrativa – com a lavratura de autos de infração e aplicação de multas que variam de acordo com o tipo de degradação ambiental –, os possíveis danos também serão alvo de ação criminal, com a instauração de inquérito policial, que posteriormente será remetido à Justiça. Assim, vendedores, compradores e imobiliárias deverão acompanhar os processos criminais nos respectivos órgãos de origem, em Goiânia.

domingo, 6 de setembro de 2020

Juíza Placidina Pires autoriza operação que desarticula quadrilha especializada em fraudes

 A juíza Placidina Pires, da Vara dos Feitos Relativos a Organizações Criminosas e Lavagem de Capitais do Estado do Goiás, autorizou, nesta sexta-feira (4), mandados de busca e apreensão, que estão sendo cumpridos pela Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos (DRCC), numa operação chamada Data Broker. O objetivo da ação é desarticular organização criminosa especializada na prática de fraudes por aplicativos de mensagens. No total, sete mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em quatro endereços de Goiânia, e, com apoio da Diretoria Geral de Administração Penitenciária, também numa ala da Penitenciária Coronel Odenir Guimarães, além de dois endereços localizados na cidade mineira de Montes Claros, neste caso, com auxílio pela Polícia Civil de Minas Gerais. Os golpistas, segundo as apurações, compravam dados pessoais das vítimas em sites clandestinos de bancos de dados e repassavam, mediante assinatura, para qualquer interessado, sem se importar com o uso que seria feito. De posse dessas informações, eles criavam um WhatsApp com foto de um parente, e mandavam mensagem se passando por filho ou outro parente próximo, pedindo para excluir o número antigo e, depois de algumas conversas, pediam dinheiro. Normalmente, os bandidos se utilizavam de imagens e identificação de médicos, dentistas, promotores de justiça e juízes e enviavam mensagens para os familiares próximos dessas pessoas. As vítimas, geralmente pessoas de mais idade, caiam no golpe e passavam altas quantias para os golpistas. A juíza Placidina Pires determinou o bloqueio desses serviços ilegais, com a exclusão dos sites abusivos em todo território nacional. A Operação contou com o apoio do Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio do Laboratório de Operações Cibernéticas (Coordenação Geral de Combate ao Crime Organizado/Diretoria de Operações/Secretaria de Operações Integradas), especialmente na busca de elementos informativos coletados em ambientes virtuais, com indícios suficientes de autoria e mate

sábado, 5 de setembro de 2020

SAMU implanta novo módulo para regulação com maior transparência e agilidade de atendimentos

 A Secretaria de Saúde (SMS) implantou na última segunda-feira (31/08) um novo módulo para a regulação do SAMU, do sistema Celk que substitui o e-SUS SAMU. O sistema Celk de gerenciamento de gestão em saúde, já vem sendo utilizado em outras áreas da saúde, como atenção primária, farmácia, agendamento de exames e vigilância sanitária. A migração para esse novo módulo irá agilizar a regulação melhorando ainda mais os atendimentos. Funcionando como um raio-x do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), o módulo Celk, possui maior abrangência fornecendo uma maior base de dados, que permite que o SAMU produza indicadores de capacidade de qualidade de atendimento, de forma mais confiável e totalmente online. Esta nova dinâmica do sistema alimenta de forma contínua o banco de dados do principal indicador de qualidade do SAMU, o tempo resposta de atendimento e monitora em tempo real as atividades dos seus colaboradores. Visando assim a rapidez e melhora no atendimento. A implementação do módulo Celk irá trazer diversos benefícios para o usuário do SAMU, com atendimentos com maior eficácia e eficiência. As chamadas serão em tempo real, e haverá a emissão de uma maior quantidade de relatórios de atendimentos. O usuário também terá mais transparência do serviço, como explica coordenador do SAMU, André Luiz Braga. “O cidadão também poderá monitorar o serviço oferecido através do Portal da Transparência da SMS, onde será possível acompanhar em tempo real os indicadores de produção e como a administração está tratando da manutenção desse serviço federal que é tão essencial para nós.” O sistema e-SUS será utilizado até que todas as ocorrências desta segunda-feira (31/08) tenham sido encerradas, após isto o sistema será descontinuado da utilização cotidiana na Central de Regulação do SAMU. É importante ressaltar que a alimentação do banco de dados do Ministério da Saúde, será continuado com portabilidade de dados sem prejuízo algum. A Central de regulação contará com técnicos operacionais que auxiliarão na utilização do sistema durante toda semana, além de call center 24 horas por dia na primeira semana de implementação do novo sistema

sexta-feira, 4 de setembro de 2020

Transporte gratuito para pessoas com grave deficiência

 Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que cerca de 23% da população do Distrito Federal tenham algum tipo de deficiência ou dificuldade motora. Muitas dessas pessoas, devido à severidade de suas limitações, não são contemplados pelo transporte público e encontram muitas dificuldades de acesso à rede pública de saúde. Pensando nisso, o GDF vai lançar o Atende DF, iniciativa da vice-governadoria, em parceria com a Secretaria da Pessoa com Deficiência, que vai garantir transporte para esse público específico. A portaria que dá o pontapé inicial ao programa foi assinada na manhã desta quarta-feira (2), em reunião no Palácio do Bur O vice-governador Paco Britto e a secretária da Pessoa com Deficiência, Rosinha Cavalcante, assinaram o documento que vai tirar o Atende DF do papel. O próximo passo é lançar a licitação para contratar veículos que atenderão, ainda neste ano, à demanda dos cerca de 650 mil deficientes que residem no Distrito Federal, de acordo com a pasta. “É um projeto maravilhoso, que vai atender realmente uma demanda nossa”, declarou o deputado distrital Iolando, que participou do ato de assinatura da portaria. “Muitos não têm condições sequer de arcar com os custos do transporte público para chegarem ao atendimento médico”, acrescentou o parlamentar. Dificuldades como a citada pelo deputado são, justamente, o que o Atende DF pretende amenizar para os deficientes. “Vamos contemplar a todos, com veículos adaptados, com as mais diversas formas de agendamento para uso do serviço como ligações telefônicas, e-mails e até um aplicativo de celular”, explicou o vice-governador. O transporte dessas pessoas será feito de forma gratuita. No entanto, o benefício é restrito a deficientes com severas dificuldades físicas e que não conseguem ser atendidos pelos equipamentos de acessibilidade dos ônibus do DF. Mas é preciso deixar claro que o Atende DF não será um programa de atendimento emergencial, serviço que continuará a ser feito pelo Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) e pelo Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF). Os veículos adaptados serão responsáveis apenas por levar e buscar deficientes extremos a consultas

quinta-feira, 3 de setembro de 2020

Procon Goiás pede esclarecimentos a cerealistas e supermercados sobre aumento no preço do arroz

 Motivado pelo aumento nos preços do pacote de arroz, o Procon Goiás iniciou, nesta semana, a notificação de cerealistas, distribuidoras e supermercados localizados em Goiânia e na Região Metropolitana de Goiânia para averiguar as razões dos aumentos relatados pelos consumidores e, eventualmente, a possível majoração injustificada de preços. Em uma ação rápida, devido à urgência da ocasião, o órgão optou pela fiscalização por meio de amostragem. As empresas notificadas terão 3 dias para apresentar as notas fiscais de entrada e saída do período que vai do dia 1º de junho até o dia em que ela foi notificada. Neste período, já foram notificados 20 estabelecimentos, nos quais foram constatados os valores de diversas marcas de arroz. A partir disso, serão verificadas possíveis práticas abusivas relacionadas ao aumento de preço recente. Caso haja a comprovação de aumento abusivo de valores, descumprimento do prazo ou não apresentação de todos os documentos solicitados, a empresa infratora será autuada. A multa pode variar de R$650 a R$9 milhões, a depender do tamanho do estabelecimento, natureza da infração e se há reincidência. DENÚNCIAS O superintendente do Procon Goiás, Allen Viana, solicita que os consumidores sigam colaborando com a atuação do órgão mediante a apresentação de denúncias e reclamações. “O consumidor consciente dos seus direitos é uma extensão da Superintendência do Consumidor, pois ele melhor do que ninguém sabe quando os seus direitos estão sendo lesados”, disse. Os consumidores podem fazer denúncias e reclamações através do 151, pelo telefone (62) 3201-7124 ou pelo portal Procon Web (proc

quarta-feira, 2 de setembro de 2020

Vacinação contra o sarampo é prorrogada até 31 de outubro

 Tocantinenses de 20 a 49 anos agora têm até o dia 31 de outubro deste ano para tomar a vacina contra o sarampo. O Ministério da Saúde ampliou a campanha de vacinação desta faixa etária que originalmente terminaria dia 31 de agosto. O Governo do Tocantins, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), informa que a estratégia de vacinação contra o sarampo iniciou dia 23 de março, e até o momento foram aplicadas 89.095 doses da vacina contra o sarampo na faixa etária de 20 a 49 anos, em todo o Estado. A gerente de imunização da SES, Diandra Rocha, explica que essa estratégia de vacinação não tem uma meta específica a ser batida. “Nós temos uma estimativa populacional a ser vacinada, segundo o IBGE de 639.524 pessoas na faixa etária de 20 a 49 anos de idade no Tocantins”, ressalta Diandra Rocha. Ela explica ainda que um dos motivos da prorrogação é devido à baixa procura em todo o Brasil. “Mesmo passando por um momento crítico, não podemos deixar de nos preocupar com as outras doenças que estão aí. Até o momento nós tivemos um caso confirmado de sarampo no Tocantins, então é o momento de proteger a nossa população, e evitar que novos casos apareçam, e a única maneira de se proteger contra o sarampo é realmente através da vacinação”, enfatiza a gerente de imunização. Mesmo os brasileiros de 20 a 49 anos que já receberam a vacina na infância devem ir aos postos para uma dose de reforço. Embora seja bastante eficaz, a vacina contra o sarampo o Ministério da Saúde orienta uma dose extra para todos nesta faixa etária.

terça-feira, 1 de setembro de 2020

Prato Cheio contempla mais de 27,7 mil famílias

  A Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) liberou, nesta segunda-feira (31), o crédito do programa Cartão Prato Cheio. No total, 27.748 beneficiários, que efetuaram o desbloqueio do cartão até o dia 1º deste mês, receberão R$ 250. O valor se destina à aquisição de itens da cesta de alimentos e de pão e leite, como forma de garantir alimentação às famílias em situação de insegurança alimentar e nutricional no DF, principalmente durante o período de pandemia da Covid-19. Foram investidos R$ 6.937 milhões para concessão do benefício no mês de agosto. A secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Rocha, explica que o auxílio precisa ser utilizado dentro do prazo de 30 dias, a contar da data do pagamento. “É importante que os beneficiários saibam que o crédito do Prato Cheio não é cumulativo”, orienta. “Por isso, os R$ 250 devem ser utilizados para a aquisição dos itens da cesta de alimentos de forma que não fique saldo no cartão de um mês para o outro”. “Hoje estamos com mais de 28 mil famílias recebendo o benefício”, contabiliza a secretária. “São mães que estão conseguindo colocar o alimento na mesa para seus filhos. Lembro que, no início da pandemia, apenas oito mil pessoas recebiam a cesta de alimentos in natura em suas casas. Tivemos um aumento de 256,25% no número de beneficiários. Isso mostra o quanto a nossa equipe tem trabalhado, incansavelmente”. O benefício já foi entregue para 28,5 mil famílias em situação de insegurança alimentar e nutricional no DF. Porém, após reavaliação socioeconômica, 781 beneficiários tiveram o auxílio cancelado por estarem foram do critério de renda – que, conforme prevê o decreto, deve ser igual ou inferior a meio salário mínimo (R$ 522,50) per capita. “A pessoa, quando entra em contato com a equipe do Cras [Centro de Referência de Assistência Social], informa a sua renda atual e se declara impossibilitada de comprar os alimentos para sua família, mas é importante que essa pessoa informe qualquer mudança que ocorra no seu perfil de renda, já que é o agente social que analisa o risco social em que se encontra a família e, assim, concede o benefício”, destaca a secretária de Segurança Alimentar e Nutricional da Sedes , Karla Lisboa.

Leia também