A notícia em primeira mão: 01/08/21 - 01/09/21

terça-feira, 31 de agosto de 2021

Hospital Estadual de Águas Lindas terá obras retomadas em setembro

 

Nesta terça (31/8), a cidade de águas lindas recebeu o Secretário estadual de Saúde de Goiás, Ismael Alexandrino, que veio realizar a visita técnica do início da reforma do Hospital Bom Jesus e também das obras do Hospital Estadual (HEALGO).

Na semana passada foi realizada a assinatura da ordem de serviço da reforma do Hospital Bom Jesus pelo Prefeito Dr.Lucas Antonieti, essa obra propiciará 10 novos leitos de UTI e uma vasta ampliação e conforto nos demais atendimentos do Hospital. O Secretário Ismael Alexandrino visitou o início da reforma e está empenhado em ajudar mais ainda o município.

O Prefeito Dr. Lucas Antonietti agradeceu todo apoio que vem recebendo pelo Governo estadual desde o início da sua gestão no 1º semestre de 2021, principalmente no tocante ao combate à pandemia do Covid-19, foram inúmeras ações que trouxeram benefícios para a cidade, como a usina de oxigênio, insumos, vacinas, medicamentos etc. Parabenizou a excelente gestão do Secretário Municipal de Saúde Dr. Rui Borges que durante todo esse período crítico cuidou pessoalmente de cada ação, e muitos projetos foram intensificados, como exemplo levando o município a ficar em 4º lugar do estado que mais imuniza a população.

“ Vamos salvar muitas vidas nesse hospital estadual (HEALGO), essa é a minha missão, nossa maior missão, e também do nosso Governador Dr. Ronaldo Caiado, que colocou esse hospital como critério de honra.”             Disse o Prefeito Lucas Antonietti.

A Prefeitura de Águas Lindas de Goiás através da Secretaria de Comunicação tem cumprido com os princípios da administração pública, que são os da publicidade e transparência, publicando diariamente informativos sobre todos os atos, projetos, eventos e informes de saúde pública nos veículos oficiais da prefeitura, secretarias e nas redes sociais. Esse compromisso de transparência na informação é uma meta diária da pasta e um compromisso que o Secretário Municipal de Comunicação Marcos Alexandre vem executando diuturnamente, estando pessoalmente em todos os eventos e reuniões que envolvem as principais pautas da saúde. 

 

VEJA O ÁBUL DE FOTOS

Manifesto sela afastamento entre Bolsonaro e Skaf


 O presidente Jair Bolsonaro disse a aliados ter considerado a operação liderada pelo presidente da Fiesp, Paulo Skaf, de elaborar um manifesto em favor da harmonia dos poderes, uma traição e que avalia que a atitude deve selar o afastamento entre eles.

Para o governo, o gesto de Skaf tem motivação política na medida em que coincide com a aproximação do projeto presidencial que vem sendo capitaneado pelo presidente do PSD, Gilberto Kassab. O ex-prefeito de São Paulo lhe ofereceu uma vaga ao Senado na chapa que pretende lançar ao governo paulista tendo Geraldo Alckmin na cabeça de chapa e Márcio França na vice.

PUBLICIDADE

A ira do Palácio do Planalto é maior também porque Bolsonaro nomeou Skaf para o Conselho da República em 19 de fevereiro. O órgão está previsto na Constituição e tem caráter consultivo, mas nunca foi acionado pelo presidente. Sua indicação, contudo, é vista como um gesto político relevante.

A interlocutores, Skaf tem dito que o movimento que liderou tinha por objetivo apenas ajudar a estabilizar a relação entre os poderes após semanas de crise institucional que afeta os indicadores econômicos. Ele e Bolsonaro, porém, não se falam há semanas, segundo uma fonte. O distanciamento foi sendo maior conforme Bolsonaro foi estimulando o ministro dos Transportes, Tarcisio Freitas, a disputar o governo de São Paulo em 2022. Skaf tinha essa pretensão. Já disputou e perdeu o cargo em 2018 e 2014.

No episódio do manifesto, Bolsonaro e Skaf, garantem interlocutores de ambos, não se falaram. O responsável pela interface foi o ministro da economia, Paulo Guedes, que falou com Skaf sobre o assunto após o presidente da Fiesp procurá-lo para falar da ideia do manifesto. A conversa ocorreu na segunda-feira e a ideia de Skaf foi tranquilizá-lo de que não se tratava de nada contra o governo. Teria dito que o movimento era simétrico, ou seja, que era endereçado aos três poderes, e não apenas ao Palácio do Planalto. E que a ideia era que cada poder cuidasse das suas funções para que o país pudesse retomar a economia após a pandemia. O recado, porém, foi transmitido a Bolsonaro, que não se convenceu.

(São Paulo – SP, 15/12/2020) Jantar oferecido pelo Presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), Paulo Skaf. / Alan Santos

Secretaria Municipal do Meio Ambiente apresenta relatório dos primeiros meses de gestão.

 

A Secretaria Municipal do Meio Ambiente realizou um relatório com um resumo das principais atividades realizadas nos últimos seis meses, desde o início da nova gestão o Secretário Mauro Pedro Correa dos Santos nomeado sobre o Decreto municipal nº 17/2021 tem se empenhado em fazer uma gestão ativa, ouvindo sempre as demandas da população e atendendo aos relatórios técnicos dos especialistas sobre as necessidades mais urgentes do município.

Durante o início da nova gestão foram analisados 02 processos de licenciamento, emitida uma licença ambiental, analisadas e emitidas 24 certidões de uso e ocupação do solo e ação especial contra incêndio florestal criminoso no Parque Estadual de Águas Lindas-PEAL, juntamente com o apoio dos militares do 20º Batalhão do Corpo de Bombeiro.

Os trabalhos no combate ao incêndio no Parque Florestal foram supervisionados pessoalmente pelo Secretário Municipal do Meio ambiente Mauro Correa e também o comandante do 20º Batalhão de Bombeiros, Major Ademar Ramalho da Silva Filho.

O mês de agosto foi cheio de atividades, no dia (18/8) foi realizado apoio na diligência da fiscalização da SEMAD dentro da área de preservação ambiental do Rio Descoberto.

Finalizando as atividades da última semana (20/8), foi realizado apoio operacional ao Departamento de Fiscalização de Áreas Públicas e Parcelamento do solo- DFAPPS para realização de desocupação de áreas públicas. E no dia (27/8) realizamos a V Live do Programa de educação Ambiental em parceria com a Secretaria de Educação que contou com a participação especial do Major Ramal- CBM GO.

O Secretário Mauro firmou compromisso de um semestre com muito trabalho e colocou à disposição da população os canais de comunicação da Secretaria de Meio Ambiente.

“ Minha prioridade é atender às demandas mais urgentes da cidade, trabalhar pela preservação ambiental e ouvir a população com sugestões e denúncias, informo nossos contatos (61)3616-1140 ou enviar sua denúncia e sugestão por e-mail meio.ambiente@aguaslindasdegoias.go.gov.br”.Disse o Secretário

segunda-feira, 30 de agosto de 2021

Liberdade de expressão não comporta violência e ameaça, diz Fux sobre 7 de setembro

 Presidente do STF fez discurso sobre as manifestações convocadas pelo presidente Jair Bolsonaro para o Dia da Independência

Liberdade de expressão não comporta violência e ameaça, diz Fux sobre 7 de setembro | VISÃO CNN

 presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, afirmou em discurso nesta quinta-feira (2), que a liberdade de expressão não comporta atos violentos e ameaças, falando sobre as manifestações marcadas para o feriado de 7 de setembro.

“Num ambiente democrático, manifestações públicas são pacíficas, por sua vez, a liberdade de expressão não comporta violências e ameaças. O exercício de nossa cidadania pressupõe respeito à integridade das instituições democráticas e de seus membros”, declarou Fux.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem convocado os protestos para 7 de setembro. Em discurso durante evento em Uberlândia (MG), em 31 de agosto, ele disse que a data seria uma “nova independência” para o Brasil.

Membros do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) estiveram na Avenida Paulista no dia 30 de agosto para fazer o reconhecimento do local, tendo em vista que Bolsonaro deseja participar da manifestação. O caminhão em que o presidente irá falar não poderá se movimentar e ainda foi checado o distanciamento para que seja possível instalar detectores de metais.

Durante evento com medalhistas olímpicos de Tóquio-2020, no Rio de Janeiro, na quarta-feira (1º), Bolsonaro afirmou que “com flores não se ganha a guerra. Se você fala de armamento. Se você quer paz, se prepare para a guerra”.

Fux, por sua vez, rebateu a declaração com uma frase de Martin Luther King Jr: “a paz jamais será mantida pela força; ela só pode ser obtida por meio do entendimento mútuo”. 

A atuação do STF na democracia foi destacada por Fux, afirmando que a Suprema Corte “tem sido um ferrenho defensor das liberdades públicas”, e citou como exemplo “as decisões judiciais que garantiram a realização de diversas manifestações públicas em momentos históricos do país” e “a nulidade de decisões da Justiça que impediam a livre manifestação político-eleitoral em universidades públicas, entre outros tantos exemplos da farta jurisprudência constitucional”.

Por fim, concluiu o pronunciamento alegando que “o bem do país se garante com o estrito cumprimento da Constituição”. E que o STF “segue atento e vigilante” para a manutenção da plenitude democrática durante as manifestações no Dia da Independência.

Confira o discurso de Fux na íntegra:

Aproxima-se a data de 7 de setembro e, na qualidade de Presidente da Corte Suprema, impõe-se uma palavra de respeito à democracia nacional e das manifestações programadas para o feriado de celebração da independência do Brasil.

A formação histórica do Brasil, como povo e como nação, consiste em narrativa complexa, permeada por esforço, suor e lutas. A própria declaração de independência, em 7 de setembro de 1822, não foi apenas um grito solitário às margens do Ipiranga, mas resultado da sucessão de atos corajosos empreendidos por inúmeros brasileiros, muitos dos quais doaram as suas vidas em prol da construção do país.

Quase dois séculos depois, após um percurso político desafiador que nos legou maturidade institucional, hoje somos, sem dúvidas, uma das maiores democracias constitucionais do mundo. Ostentamos um catálogo monumental de direitos fundamentais civis, políticos e sociais, além de termos instituições fortes, republicanas e em pleno funcionamento. Acima de tudo, somos destaque internacional por nosso pluralismo político, cultural e religioso, que caracteriza o nosso povo.

Não nos olvidemos, porém, que nenhum povo constrói sua identidade sem dissenso e nenhuma nação alcança a prosperidade sem debates sobre o desempenho dos seus governos e de suas instituições. A crítica construtiva provoca reflexões, descortina novos pontos de vista e convida ao aprimoramento institucional. A crítica destrutiva, por sua vez, abala indevidamente a confiança do povo nas instituições do país.

É por isso que a postura ativa e ordeira da população em prol de pautas sociais, políticas e ideológicas revela-se manifestação louvável, porquanto sinônimo de saúde democrática e de engajamento cívico. Por outro lado, como patrimônio coletivo, a nossa democracia desperta o senso de responsabilidade de todos os brasileiros, que devem reafirmá-la em todos os momentos da vida. Afinal, a nossa democracia não nos foi herdada nem outorgada, mas corajosamente conquistada.

Somos testemunhas oculares de que o caminho para a estabilidade da democracia brasileira não foi fácil nem imediato. Por essa razão, é voz corrente nas ruas que, na quadra atual, o povo brasileiro jamais aceitaria retrocessos! Há mais de 30 anos, nossos cidadãos manifestaram o seu desejo pela democracia. Esse desejo permanece vivo e perpassa o compromisso nacional em prol de debates públicos permeados pelos ideais republicanos.

O Supremo Tribunal Federal tem sido um ferrenho defensor das liberdades públicas, como demonstram, exemplificadamente, as decisões judiciais que garantiram a realização de diversas manifestações públicas em momentos históricos do país; bem como declararam a nulidade de decisões da Justiça que impediam a livre manifestação político-eleitoral em universidades públicas, entre outros tantos exemplos da farta jurisprudência constitucional.

Sabemos que as liberdades públicas não são benesses concedidas pelo Estado, mas vitórias históricas dos cidadãos brasileiros, dos quais se espera cuidado para com os próprios direitos fundamentais. Por isso mesmo, esta Suprema Corte – guardiã maior da Constituição e árbitra da Federação – confia que os cidadãos agirão em suas manifestações com senso de responsabilidade cívica e respeito institucional, independentemente da posição político-ideológica que ostentam.

Num ambiente democrático, manifestações públicas são pacíficas; por sua vez, a liberdade de expressão não comporta violências e ameaças. O exercício de nossa cidadania pressupõe respeito à integridade das instituições democráticas e de seus membros, conforme a lição legada por Martin Luther King Jr: “a paz jamais será mantida pela força; ela só pode ser obtida por meio do entendimento mútuo”. A despeito de todas as nossas diferenças de opinião, de ideologia política e de projetos nacionais, NÓS, cidadãos brasileiros, somos uníssonos num ponto fundamental: o amor pelo Brasil e o orgulho pelo que construímos como nação.

Seja nos momentos de tormenta, seja nos momentos de calmaria, o bem do país se garante com o estrito cumprimento da Constituição. A esta missão jamais renunciaremos, como juízes constitucionais. O Supremo Tribunal Federal – instituição centenária e patrimônio do povo brasileiro – segue atento e vigilante, neste 7 de setembro, pela manutenção da plenitude democrática.

sábado, 28 de agosto de 2021

Brasil tem 4º dia de queda na média móvel de mortes por Covid; são 677 vítimas por dia

 

País contabiliza 578.396 óbitos e 20.703.645 casos de coronavírus, segundo balanço do consórcio de veículos de imprensa com dados das secretarias de Saúde. Média de mortes é a menor registrada desde o fim de dezembro.



Brasil registra a menor média diária de mortes do ano, pelo segundo dia seguido
00:00/02:11

Brasil registra a menor média diária de mortes do ano, pelo segundo dia seguido

O Brasil registrou 791 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando nesta sexta-feira (27) 578.396 óbitos desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias ficou em 677 --a menor registrada desde 30 de dezembro. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -21% e aponta tendência de queda. É o 4º dia seguido de tendência de queda no índice.

Já a média móvel de casos, em 25.088 por dia, voltou a atingir o menor patamar visto em mais de nove meses (veja detalhes mais abaixo).

Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h desta sexta. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

Evolução da média móvel de óbitos por Covid no Brasil nos últimos 14 dias. A variação percentual leva em conta os números das duas pontas do período — Foto: Editoria de Arte/G1

Evolução da média móvel de óbitos por Covid no Brasil nos últimos 14 dias. A variação percentual leva em conta os números das duas pontas do período — Foto: Editoria de Arte/G1

Veja a sequência da última semana na média móvel:

  • Sábado (21): 773
  • Domingo (22): 765
  • Segunda (23): 766
  • Terça (24): 730
  • Quarta (25): 718
  • Quinta (26): 696
  • Sexta (27): 677

Em 31 de julho o Brasil voltou a registrar média móvel de mortes abaixo de 1 mil, após um período de 191 dias seguidos com valores superiores. De 17 de março até 10 de maio, foram 55 dias seguidos com essa média móvel acima de 2 mil. No pior momento desse período, a média chegou ao recorde de 3.125, no dia 12 de abril.

Três estados e o Distrito Federal apresentam tendência de alta nas mortesRJ, DF, AC e SE.

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 20.703.645 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 28.302 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 25.088 diagnósticos por diaa menor desde 12 de novembro (quando estava em 24.056), resultando em uma variação de -12% em relação aos casos registrados na média há duas semanas, o que indica estabilidade.

Em seu pior momento a curva da média móvel chegou à marca de 77.295 novos casos diários, no dia 23 de junho deste ano.

Brasil, 27 de agosto

  • Total de mortes: 578.396
  • Registro de mortes em 24 horas: 791
  • Média de novas mortes nos últimos 7 dias: 677 por dia (variação em 14 dias: -21%)
  • Total de casos confirmados: 20.703.645
  • Registro de casos confirmados em 24 horas: 28.302
  • Média de novos casos nos últimos 7 dias: 25.088 por dia (variação em 14 dias: -12%)

Estados

  • Em alta (3 estados e o DF): SE, AC, RJ, DF
  • Em estabilidade (7 estados): RS, MS, PA, SC, PB, ES, BA
  • Em queda (16 estados): AL, MA, MT, MG, SP, RN, PR, PI, TO, RO, PE, GO, AM, CE, AP, RR

Leia também