.

.

Hora Certa pra você

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Câmara de Vereadores de Águas Lindas mantém Rogemberg na presidência

Na manhã desta sexta-feira (17), a Câmara de Vereadores realizou a eleição da nova Mesa Diretora, onde o vereador Rogemberg Barbosa (PRB) foi reeleito para ocupar a presidência da Casa com 16 votos a favor, dois contra e uma abstenção.
Rogemberg é tido como um dos presidentes do Legislativo Municipal mais atuante da Região do Entorno. Em Águas Lindas, sempre aparece como um dos mais votados. Em seu quinto mandato consecutivo, Rogemberg é um político comprometido com a cidade.
O presidente reeleito ficará à frente dos trabalhos da Câmara no ano de 2018, e prometeu continuar atuante. “Meu objetivo sempre foi o povo, e é por isso que estou nesta Casa, pois acredito que posso contribuir para a construção de uma sociedade melhor”.
O que chama atenção na presidência de Rogemberg é o seu bom trâmite com os pares e principalmente com o Executivo, que segundo ele tem sido um dos mais atuantes em Águas Lindas. “Como eu sempre disse, luto pelo meu povo, e enquanto o Executivo continuar com este objetivo nossos desejos serão os mesmos. O prefeito Hildo do Candango tem o meu apoio, e os projetos que beneficiam a nossa cidade serão bem representados por mim na Câmara”, completou o presidente do Legislativo, Rogemberg.

A Mesa Diretora ficou composta assim: Presidente Rogemberg Barbosa (PRB), vice-presidente Jota Barros (PTN), 2° vice-presidente Aluísio da Artec (PSC), 1° secretário Everaldo Veículos, 2° secretário Jacó do Esperança (PTC), 3° secretário Oliveira Júnior (PPS), e corregedor Evandro do Rainha da Paz (PSB).

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Servidores municipais de Águas Lindas participam evento da AGEHAB sobre o Cartão Reforma do Governo Federal

A cidade de Águas Lindas integra a lista de 87 municípios que receberão o programa Cartão Reforma do Governo Federal, por meio do Ministério das Cidades. A equipe da Prefeitura de Águas Lindas de Goiás, coordenada pelo secretário de Habitação e Integração Fundiária, Giovanne Machado, participou do evento promovido pela AGEHAB, que contou ainda com a participação de prefeitos, secretários e técnicos de municípios, na ultima terça-feira (13).
A reunião aconteceu no auditório da AGEHAB, onde foram abordadas questões como regularização fundiária, prazos e critérios para seleção dos beneficiários foram discutidas, além de orientações sobre o cadastramento dos 87 municípios selecionados pelo Ministério das Cidades para o repasse de recursos do programa Cartão Reforma. As inscrições para as prefeituras que estão aptas a receber o cartão começaram no dia 8 e vão até 19 de novembro.
O prefeito de Águas Lindas, Hildo do Candango, destacou a importância da ampliação do programa. “Somos gratos pela inclusão de nosso município no programa e acredito que o Cartão Reforma precisa chegar a todo o país. Este é o exemplo de que o Estado de Goiás dá ao país, já que este programa foi inspirado no cheque reforma instituído aqui no estado pelo governador Marconi Perillo”, disse Hildo.

O Cartão Reforma possibilita a compra de materiais de construção para obras em residências para as famílias com renda mensal de até R$ 2.811. Mais de 16 mil famílias serão beneficiadas com o programa em Goiás. Em todo país, 1.923 municípios foram selecionados para essa primeira etapa, sendo 87 em Goiás, segundo critérios do Ministério das Cidades, entre eles, combater o déficit habitacional qualitativo. As prefeituras serão responsáveis pela coordenação do programa.

Terracap realiza consulta pública de edital de parceria para o ArenaPlex


A Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap), realiza, a partir de 16 de novembro, próxima quinta-feira, consulta pública para divulgação da minuta de edital de concorrência para concessão de uso de bem público, com o objetivo de estabelecer parceria com a iniciativa privada para a gestão, manutenção, operação e modernização do Centro Esportivo de Brasília (ArenaPlex).

Esse procedimento busca obter contribuições para aprimorar o futuro processo de concorrência pública nacional. O edital estará disponível no site www.terracap.df.gov.br. Os interessados podem enviar sugestões até 16 de dezembro de 2017, por meio do e-mail parcerias@terracap.df.gov.br ou de documento impresso entregue no protocolo geral da empresa, que fica no SAM Bloco F, atrás do anexo do Palácio do Buriti. 

O edital usa como base o modelo de negócio proposto pela Dobois & Co, empresa habilitada no Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), lançado em 2016. Os estudos apresentados propõem um conjunto de atividades sinérgicas entre a operação das atuais arenas e a implantação de uma operação imobiliária, a exemplo dos estádios mais modernos do mundo, os quais são cercados de equipamentos de entretenimento e lazer, além de serem integrados no cotidiano e na vida dos cidadãos.

A proposta conceitual prevê a implantação de um “Boulevard Monumental”, com investimento estimado em R$ 200 milhões, e geração de quase 4 mil postos de trabalho. Respeitando a preservação da escala bucólica, essa solução prevê pequenas edificações esparsas, sem concentração construtiva, com espaços públicos arborizados destinados à proteção paisagística e ao lazer.

O projeto considera também a instalação de restaurantes, bares, lanchonetes, academias, cinema, teatro, clínicas e lojas para atender a população do DF e de turistas.

Atualmente, o projeto encontra-se na fase de modelagem final dos estudos recebidos e de definição das diretrizes urbanísticas pela Secretaria de Estado de Gestão do Território e Habitação (SEGETH).

A Terracap também encaminhou ao IPHAN uma proposta com as diretrizes urbanísticas que irão nortear a licitação e o concurso público de arquitetura e urbanismo, a ser realizado após a assinatura do contrato de concessão, a fim de escolher o melhor projeto para o local, que deve estar devidamente alinhado ao projeto de negócio do licitante vencedor e apresentar sustentabilidade econômico-financeira.

Ascom/Terracap
61-3342-2328/1137

Investimento público cai em 2017 e voltará ao nível dos anos 1990, diz estudo do Senado

Todas são classificadas pelos economistas como investimentos. Algo que se gasta hoje com o objetivo de obter algum benefício no futuro. Pois a crise econômica recente fará com que o investimento do setor público no Brasil retorne ao patamar (em termos relativos) da década de 1990. É o que diz o economista Rodrigo Orair, diretor da Instituição Fiscal Independente (IFI), órgão de pesquisa ligado ao Senado Federal. A BBC Brasil teve acesso a um estudo inédito da IFI, a ser divulgado na manhã desta segunda-feira. O levantamento mostra que, nos governos dos Estados, o nível dos investimentos já retornou ao patamar da década de 1990. O investimento de todos os governos estaduais somados caiu de R$ 57,8 bilhões em 2014 para R$ 28,7 bilhões acumulados em 12 meses até junho de 2017, segundo o levantamento da IFI. De 1994 a 2000, o investimento mé- dio dos Estados ficou em R$ 30,6 bilhões por ano, em valores corrigidos. O investimento dos Estados deve fechar este ano em 0,4% do PIB, que é a soma de tudo que o país produz. Em 2014, a cifra era de 1%. O mesmo deve se repetir no governo federal e nos municípios, segundo Orair, pesquisador que já estudava o tema no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) há quase dez anos, desde 2009. A preocupação com a queda do nível de investimento não deveria ser só de economistas. A falta de investimentos em geração e distribuição de energia ao longo dos anos 1990, por exemplo, fez com que o país enfrentasse um racionamento severo de energia elétrica de julho de 2001 a fevereiro de 2002. Depois de atingir um pico em 2014, os investimentos públicos come- çaram a cair já em 2015, ainda no governo de Dilma Rousseff (PT). O episódio ficou conhecido como crise do “apagão”. O economista Delfim Netto chegou a calcular que cada brasileiro perdeu R$ 320 por causa da crise energética. VAI PIORAR EM 2018 Em 2017, o que derrubou as contas públicas foi a queda da arrecadação de impostos, após três anos de recessão. Embora a crise tenha acabado oficialmente, a expectativa é que o baque maior nos investimentos venha em 2018. É só no ano que vem que as contas públicas sofrerão os efeitos mais drásticos do Novo Regime Fiscal, conhecido como “PEC do Teto”. A PEC do Teto determina que as despesas públicas só podem crescer até o limite da inflação do ano anterior. Como em 2016 a inflação estava relativamente alta (6,29%, segundo o IBGE), o efeito de compressão do Orçamento foi pequeno. Em 2017, a alta de pre- ços deve ser bem menor (abaixo de 3%, segundo o boletim Focus do Banco Central), criando um teto bem mais baixo para os gastos, diz Orair. Se o Orçamento como um todo sofrerá um achatamento, o efeito será ainda maior nos investimentos, já que gastos de outras áreas (principalmente salários e Previdência) são obrigatórios e continuarão crescendo. Segundo o economista Gil Castelo Branco, da ONG Contas Abertas, as indicações de uma queda ainda mais abrupta nos investimentos em 2018 já podem ser vistas no projeto de Lei Orçamentária Anual (Ploa) do ano que vem. A Ploa é enviada pelo Executivo ao Congresso e, depois de aprovada, torna- -se o Orçamento da União para o ano seguinte. Os investimentos da União previstos na lei de 2017 eram de R$ 129,1 bilhões. Em 2018, caí- ram para R$ 98,6 bilhões (24% menor). Gil Castelo Branco calculou a diminuição dos investimentos em dez áreas, tomando como base as leis orçamentá- rias de 2017 e 2018. Algumas das mais relevantes, segundo ele, serão o saneamento básico (32% a menos); o ministério da Educação (37% a menos) e o DNIT (ligado ao ministério dos Transportes), com 25% a menos. Os dados foram apresentados por Gil em uma palestra recente na Funda- ção Getúlio Vargas (FGV). PREJUDICANDO NOSSOS FILHOS E NETOS “Como o investimento tende a beneficiar mais as gerações futuras e não a atual, é geralmente a área mais atingida”, diz ele. “O corte no investimento impacta pouco a prestação atual dos serviços. Entre fechar a escola, fechar o hospital, e cancelar a obra, o governo opta pela obra”, acrescenta. O problema, diz Orair, é que para retomar os mesmos investimentos mais tarde há gastos adicionais e desperdício. O exemplo mais fresco na memória dos brasileiros talvez seja uma parte das obras de mobilidade urbana criadas para a Copa do Mundo de 2014 - uma parte dos projetos se converteu em esqueletos de concreto sem utilidade. Outras foram inauguradas com atraso de anos. Um exemplo é o Ve- ículo Leve sobre Trilhos de Cuiabá (MT), que já consumiu mais de R$ 1 bilhão e ainda não foi inaugurado. A infraestrutura do país e dos serviços públicos também vai se comprometendo sem novos investimentos. Isto prejudica a capacidade do país de garantir direitos como saúde, educação e outros, diz Gil. MAIS DESPESAS OBRIGATÓRIAS “Na realidade já tem algum tempo que as despesas obrigatórias (como salários) crescem continuamente, comprimindo as demais, principalmente os investimentos”, explica Gil. Segundo ele, cerca de 90% das despesas primárias (isto é, sem contar a dívida pública) são obrigatórias. Segundo Rodrigo Orair, o investimento público no país está em trajetória de queda (relativamente ao tamanho do PIB) desde os anos 1980. Chegou ao nível mais baixo em 2003 e 2004, no começo do governo do ex-presidente Lula (PT), quando houve forte ajuste fiscal. E se recuperou desde aquela época até o começo da crise, em 2015. Em nota à reportagem da BBC Brasil, o Ministé- rio do Planejamento informa que o governo teve de cortar despesas depois que a arrecadação em 2017 ficou abaixo do previsto no Orçamento. “Observado o fraco desempenho das receitas públicas e em busca de assegurar o cumprimento das metas fiscais, o governo federal se viu obrigado a fazer contingenciamentos de recursos”, diz o texto. “Como, hoje, mais de 90% do orçamento federal corresponde a despesas obrigatórias ou não contingenciáveis, resta ao governo a obrigação de contingenciar os outros menos de 10% que corresponde a despesas de custeio e a despesas discricionárias (a maior parte delas diz respeito ao funcionamento da máquina pública)”, diz o texto do Planejamento.

Prefeitura de Águas Lindas intensifica a Operação Cidade Limpa

A Prefeitura de Águas Lindas de Goiás, por meio de sua Secretaria de Obras e Serviços Urbanos, está intensificando os trabalhos da Operação Cidade Limpa, que atenderá todos os bairros da cidade. Atualmente, as equipes da Secretaria estão na região do Jardim Brasília e Jardim Barragem de I ao V, onde os logradouros públicos recebem limpeza com recolhimento de entulho, roçagem dos lotes, recuperação de passeio, reparos nas bocas de lobo, recuperação asfáltica, entre outras obras.
O secretário de Obras, José Fernando (Dinando), informou que a equipe coordenada pelo senhor Joaquim Pereira tem realizado importantes trabalhos em vários pontos da cidade. “A participação da comunidade nos processos de preservação e de limpeza destas localidades é muito importante. Infelizmente percebemos que, em vários destes locais, o vandalismo ocasionou sérios prejuízos e o lixo jogado em locais inadequados está trazendo um grande desconforto para a própria comunidade. Lixo tem que ser jogado no lixo”, disse o secretário.

As equipes da Secretaria de Obras seguem realizando a limpeza urbana e a reconstrução das bocas de lobos para contribuir para o escoamento adequado da água da chuva. De acordo com Dinando, os trabalhos da Operação Cidade Limpa seguirão por toda a cidade.


Aleandra Sousa é destaque no Social de Águas Lindas de Goiás

Uma das áreas que mais cresceu em termos de melhorias, investimentos e atendimento ao público em Águas Lindas de Goiás foi a social. Isso graças ao trabalho da secretária de Assistência Social, Aleandra Sousa, que tem se destacado, pelo seu trabalho sério e competente.
Aleandra Sousa não mediu esforços e foi atrás dos programas sociais, dos convênios e dos projetos para serem aplicados e investidos no município. A secretária fez uma revolução no social da cidade e hoje é referencia em todo o Estado de Goiás. Muitos municípios se espelham em Águas Lindas de Goiás e levam os exemplos para serem aplicados.

Devido a este trabalho, Aleandra Sousa é destaque no município e seu nome tem sido lembrado por todos quando o assunto é assistência social, pois ela vem deixando suas marcas a cada dia que passa.

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Registros de estupro crescem 31% no DF em 2017; homicídios caem

 Com um aumento de 31,3%, a quantidade de casos registrados de estupro foi o único índice criminal do Distrito Federal (DF) que apresentou crescimento nos primeiros dez meses do ano, na compara- ção com o ano passado. As informações foram apresentadas ontem (7) pelo governo distrital, que reuniu as estatísticas criminais da região e do programa local Viva Brasília aos dados do 11º Anuário Brasileiro da Segurança Pública, do Fó- rum Brasileiro de Segurança (FBSP), divulgado no final do mês passado. Em 2016, no acumulado de janeiro a outubro, 566 estupros foram contabilizados no DF, número que pulou para 743 neste ano. O dado compreende os casos comunciados à polícia neste período, ou seja, inclui crimes que podem ter acontecido em meses anteriores. De acordo com o balanço, foram cometidos, nos mesmos períodos de 2016 e 2017, 509 e 569 estupros, respectivamente. Na avaliação da especialista de assistência social da Secretaria de Estado de Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, Miriam Pongaag, o crescimento dos registros está relacionado a uma maior disposição das vítimas em denunciar os casos. Ela cita como exemplo a campanha contra a explora- ção sexual de crianças e adolescentes realizadas no 18 de maio, em que palestrantes vão a escolas da cidade orientar o público sobre o assunto. “É muito comum que, ao final dos encontros, dos atendimentos, venham e digam ‘Meu pai faz isso comigo. Meu tio faz isso comigo’, principalmente crianças. O conhecimento, a desnaturalização dessa violência, ouvir as pessoas falarem pode contribuir, sim, para um aumento de registros”, relatou. Miriam, porém, reconhece que o estupro continua sendo uma agressão subnotificada, opinião compartilhada pelo secretário de segurança do DF, Edval Novaes Júnior. Ele afirmou que o crime de estupro “acontece entre quatro paredes”. “É uma coisa muito cultural no país e que faz com que as pessoas envolvidas não queiram fazer o registro”, disse o secretário. Do total dos casos registrados, 66% das ví- timas tinham vínculo com o autor do crime. Nos casos classificados como “estupro de vulnerável”, que envolve menores de 14 anos, o índice sobe para 93%. AVANÇOS O monitoramento também registrou, entre janeiro e outubro de 2017, a menor taxa de homicí- dios dos últimos 17 anos no DF. Em 2017, no perí- odo examinado, 405 pessoas foram assassinadas. “Nós estamos reduzindo a quantidade de homicídios (-18,4%), de latrocínios (-18,4%), roubo a transeunte (-3,3%), a roubo de ve- ículos (-13,8%), roubo em transporte coletivo (-5,3%), em comércio (-22,5%), em residência (3,7%), furto em veículo (-4,9%), tentativas de homicídio (-0,8%) e de latrocínio (-9,6%)”, comentou o secretário de segurança, mencionando os acumulados dos dois anos observados. Em 74% dos crimes, os autores já tinham passagem pela polícia.

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Estado de conservação das rodoviais piora em 2017, diz CNT

O estado de conservação das rodovias brasileiras piorou em 2017 se comparado com o ano anterior. É o que mostra a pesquisa sobre a malha rodoviária nacional que a Confederação Nacional do Transporte (CNT) realiza anualmente, com apoio do Serviço Social do Transporte (Sest) e do Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat). Divulgada a 21ª edi- ção do levantamento aponta que o país precisaria investir quase R$ 294 bilhões para ter uma infraestrutura rodoviária adequada à demanda nacional. Além da queda na qualidade do estado geral das rodovias pesquisadas e da falta de investimentos, a pesquisa identi cou 363 trechos de rodovias com pontos que, segundo a CNT, representam grave riscos à segurança dos usuários e queda da e ciência do transporte. Ao longo de 30 dias, pesquisadores percorreram 105,8 mil quilô- metros – 2,5 mil quilô - metros a mais que em 2016. Toda a extensão pavimentada das rodovias federais e as principais rodovias estaduais do país foram avaliadas. Segundo o diretor executivo da CNT, Bruno Batista, a queda na qualidade do estado geral das rodovias está demonstrada no fato de, este ano, os pesquisadores terem classi cado 61,8% da extensão pesquisada como regular, ruim ou péssima e apenas 38,2% como boas ou ótimas. Em 2016, estes índices eram de, respectivamente, 58,2% e 41,8%. O aspecto em que o índice mais se deteriorou foi o relativo à sinalização. O percentual da extensão de rodovias com sinalização considerada como ótima ou boa caiu para 40,8%, frente aos 48,3% alcan- çados no ano passado. Dessa forma, aumentou para 59,2% o percentual de sinalização regular, ruim ou péssima. Outro quesito mal avaliado diz respeito à durabilidade do pavimento das rodovias bra - sileiras. Segundo a CNT, o país ainda emprega uma metodologia ultra - passada na execução das obras. Isso, de acordo com a entidade, é ainda mais comprometido por falhas no gerenciamento, scalização e manu - tenção das rodovias. ACIDENTES As falhas concorrem para o surgimento de “situações atípicas”, que é como a pesquisa classi ca ameaças à segurança dos usuários das estradas federais ou administradas por em - presas concessionárias. São quedas de barreiras, pontes caídas, trechos erodidos e buracos que comprometem faixas de rodagem, “levando a um aumento dos custos operacionais da movi - mentação de cargas e de passageiros resultante do prolongamento do tempo de viagem e do maior consumo de com - bustível”, mostra estudo. A pesquisa indica que, em 2016, o número de acidentes em rodovias federais caiu pelo segundo ano consecutivo. Para Bruno Batista, no entanto, essa queda se deve à mudança de metodologia na forma como a Polícia Rodovi- ária Federal (PRF) computa as ocorrências. “A partir de 20015, a Polícia Rodoviária alterou a forma de registro dos acidentes. As pessoas que se envolvem em acidentes sem vítimas passaram a ter que registrá-los. Acreditamos que isso ajude a explicar essa queda grande dos números, já que não houve nenhuma razão técnica, nenhum incremento em medidas de segurança, que expliquem esse fato”, comentou Batista ao comparar os 96,3 mil acidentes e 6.398 mil mortes do ano passado com os cerca de 121 mil acidentes e 6.837 mil óbitos divulga - dos em 2015. Em 2014, foram registrados 169 mil acidentes. A pesquisa aponta que ao passo em que foram investidos R$ 8,61 bilhões em melhorias e conservação das rodovias federais, só os acidentes registrados no ano passado custaram R$ 10,88 bilhões. Valores que se somam às perdas com o aumento do custo operacional para as transportadoras de cargas e de passageiros. A estimativa é que, apenas em 2017, 832,3 milhões de litros de diesel tenham sido desperdi- çados em função da má qualidade das rodovias, o que custou R$ 2,54 bilhões às transportadoras. “A má qualidade das rodovias brasileiras oneram o transporte rodovi- ário em 27%, na média. Média, pois há rodoviais da Região Norte que chegam a elevar em até 33% o custo da operação”, a r - mou o presidente da seção de Transporte Rodoviário de Cargas, Flávio Benatti. “Isso demonstra o chamado Custo Brasil e a realidade do nosso país. Não teremos crescimento adequado se não olharmos para a questão da infraestrutura de transporte como um todo. E o [mo - dal] rodoviário, que res - ponde por 60% do volume de carga transportada [e 95% do de passageiros] precisa ser visto pelo governo com outros olhos”, acrescentou Benatti, destacando que, historica - mente, o governo federal deixa de executar cerca de 30% do orçamento aprovado para a infraestrutu - ra rodoviária. “São verbas aprovadas que, por falta de gestão, não foram gastas. É uma situação muito grave,” disse. SOLUÇÕES Para a CNT, é urgente a implementação, pelo governo federal, de um plano para reparar os principais problemas identi cados na pesquisa, dentre os quais, a reconstrução de 1.136 quilômetros de rodovias onde a superfície do pavimento está destruída e a restauração de 27.681 quilômetros de malha onde foram identi - cadas trincas, remendos, afundamentos, ondula - ções ou buracos; além da construção de acostamentos em 47.270 quilômetros e a pintura de faixas centrais e laterais onde estas não existem. Além disso, a confederação defende o fortalecimento dos órgãos públi - cos que atuam no setor, como o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes
(Dnit) e a PRF; a modernização dos sistemas de scaliza- ção e controle de obras públicas de infraestrutura rodoviária e a reformula - ção do modelo brasileiro de concessões rodoviárias como forma de estimular os investimentos privados. “O quadro se agrava a cada dia, pois os investimentos feitos pelo governo são poucos. E as concessões feitas há três, quatro anos, foram feitas apenas para mexer com valores de tarifas, e não com um plano de investimentos”, acrescentou Benatti

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

CUNHA DIZ QUE MPF E JOESLEY FORJARAM COMPRA DE SILÊNCIO PARA INCRIMINAR TEMER

O deputado cassado Eduardo Cunha afirmou hoje (6) que o Ministério Público Federal (MPF) e o empresário Joesley Batista, um dos donos do grupo J&F, forjaram uma suposta compra de seu silêncio, para poder incriminar o presidente Michel Temer.
“Não existe essa história de dizer que estou em silêncio porque estou recebendo para não delatar. Parte disso é forjado para imputar crime ao Michel [presidente Michel Temer] no atual mandato”, afirmou Cunha. “Deram uma forjada, e o seu Joesley foi cúmplice dessa forjada, e está pagando por isso agora.”
A suposta compra do silêncio de Cunha embasou uma das denúncias do então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra Temer, após Joesley ter gravado uma conversa em que o presidente aparentemente daria sua anuência a pagamentos para o ex-deputado.
O ex-deputado, que se encontra preso preventivamente após ser condenado em primeira instância na Lava Jato, foi interrogado nesta segunda-feira (6) pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, responsável pela Operação Sépsis, que apura casos de corrupção na vice-presidência de Fundos de Governo e Loterias da Caixa Econômica Federal.
Cunha negou qualquer envolvimento com pagamentos de propina por empresas e disse desconhecer os supostos desvios na Caixa, classificando de “ridícula” a suposição de que receberia dinheiro para não delatar Temer no esquema.
Como meio de demonstrar que não está recebendo por seu silêncio, Cunha disse viver atualmente em “situação de absoluta penúria”, não tendo condições de sequer pagar os honorários de seus advogados.
Impeachment
O ex-deputado negou ainda ter pedido dinheiro para comprar o impeachment da então presidente Dilma Rousseff, crime do qual foi acusado na delação premiada de seu ex-operador financeiro Lúcio Funaro.
“É ridícula a afirmação dele de que pedi dinheiro para o impeachment”, disse Cunha. “Cadê a mensagem de que eu pedi? Cadê a mensagem de que paguei? Nessa data do impeachment tinha seis meses que não encontrava ele [Funaro].”
O depoimento de Cunha na ação penal resultante da Operação Sépsis continua ao longo desta segunda-feira. Outros três réus já foram ouvidos na semana passada - além de Funaro, Fábio Cleto, ex-vice-presidente da Caixa, e Alexandre Magotto, ex-funcionário do corretor de valores. O ex-ministro Henrique Eduardo Alves, também réu, será o último a ser interrogado.

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Governo anuncia novo concurso para delegado, escrivão e agente da PC

O governo de Goiás vai realizar dois novos concursos, um para delegado e outro para agente e escrivão da Polícia Civil. O anúncio foi feita nesta terça-feira (31), em solenidade realizada no Centro de Esportes e Lazer da seccional goiana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-GO)/Casag, em Aparecida de Goiânia, pelo vice-governador José Eliton (PSDB). Serão ofertadas 100 vagas para delegados e 300 a 400 para agentes e escrivães. Na ocasião também foi realizada a solenidade de formatura de 400 novos policiais civis, e autorizada a promoção para a PC. O vice-governador ainda anunciou a criação de novas delegacias especializadas, como a de crime cibernético, para as pessoas com deficiência e uma especializada nos idosos. SUSPENSO Devido a fraudes, o último concurso para delegado foi suspenso. O Ministério Público inclusive recomendou a anulação do certame. Na segunda-feira (30) as polícias civis de Goiás e do Distrito Federal cumpriram sete mandados de prisão contra pessoas envolvidas em esquema de fraude em concurso público, incluindo o realizado em Goiás para delegado. De acordo com o delegado responsável pelas investigações em Goiás, Murilo Matos, os 13 primeiros colocados na primeira fase do concurso foram os mesmos concorrentes que compraram as vagas. A expectativa é de que o certame seja anulado mesmo ao final das investigações. Os alvos da operação responderão pelos crimes de fraude, corrupção, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Águas Lindas de Goiás dá um salto no progresso e no desenvolvimento


Hildo do Candango investiu em educação, saúde e no social da cidade. Quando assumiu a Prefeitura a cidade tinha 214 salas de aulas e em seu primeiro mandato Hildo construiu 175 salas de aulas e mais 50 para o programa mais educação, dobrando o número de salas de aula do município. Na saúde, recebeu a cidade com cinco postos de saúde funcionando, hoje tem 18, está terminando. Outra boa informação é a de que a UPA 24 Horas será inaugurada até fevereiro e que em breve o Hospital Regional fará de Águas Lindas de Goiás um polo em saúde publica.
A cidade de Águas Lindas de Goiás foi emancipada em dezembro de 1995 e de lá pra cá muitos gestores passaram por sua administração, mais nenhum se compara ao prefeito Hildo do Candango, que em um mandato fez mais do que todos os outros juntos. Podemos fazer uma reflexão das gestões de Ordalino Garcia de Melo, José Zito Gonçalves de Siqueira, José Pereira e de Geraldo Messias, comparando com a de Hildo do Candango, e vemos a grande diferença.

Em 16 anos a cidade só tinha 19% de asfalto, o prefeito Hildo do Candango já asfaltou 65% das ruas e avenidas da cidade e com as obras do Complexo Pérola chegará a 80%. Outro fato importante é a rede de esgoto, quando Hildo assumiu não havia rede coletora de esgotos e hoje está sendo entregue 80% de rede de tratamento de esgoto.

Contran regulamenta aplicação de multas a pedestres e ciclistas

Uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicada no Di- ário Oficial da União regulamentou os procedimentos para autuar e multar pedestres e ciclistas por infrações. Os direitos e deveres de pedestres e ciclistas e também a previsão de penalidades estão estabelecidos no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), mas faltava uma regulamentação com a padronização de procedimentos. O prazo de implantação é de 180 dias, de acordo com a Resolução 706/17. A resolução estabelece que constatada a infração pela autoridade de trânsito, o auto de infração deverá ser registrado com o nome completo e número do documento de identificação do infrator e, quando possível, endereço e número do CPF. Quando o autuado for um ciclista, o agente de trânsito deve anotar as informações disponíveis da bicicleta tais como marca e modelo. O Artigo 254 do código de trânsito registra que pode ser autuado o pedestre que, por exemplo, cruzar pistas em viadutos, pontes, ou túneis, salvo onde existir permissão. Também quem atravessar vias dentro das áreas de cruzamento, exceto se houver sinalização para esse fim. No caso do ciclista, o Artigo 255 determina que é considerada infração conduzir bicicleta em passeios onde não seja permitida sua circulação, ou de forma agressiva. De acordo com o código, o ciclista desmontado empurrando a bicicleta equipara-se ao pedestre em direitos e deveres. A resolução publicada hoje traz a padronização administrativa para a lavratura de auto de infração, expedição de notificação de autuação e de notificação de penalidades.

Centro Municipal de Educação Inclusiva realizará o 2º Desfile Inclusivo de Águas Lindas de Goiás


O Centro Municipal de Educação Inclusiva (CEMEI) realizará a 2ª Edição do Desfile Inclusivo de Águas Lindas de Goiás no dia 11 de novembro. O evento tem a finalidade de promover a integração social dos alunos da unidade com deficiência física e intelectual, além de fazer parte do processo educativo desenvolvido pela rede municipal de ensino, em que todas as crianças apresentam necessidades educacionais especiais.
O evento acontecerá na praça de alimentação do Águas Lindas Shopping e conta com o apoio da Prefeitura de Águas Lindas de Goiás, por meio das Secretarias de Educação e de Assistência Social. O secretário de Educação, Deusimar Macedo, afirma que “a escola constitui-se em um espaço privilegiado para o reconhecimento e a valorização da diferença. Este é o fator de desenvolvimento integral dos seres humanos. As nossas escolas tem esta missão, e em uma escola inclusiva todos se beneficiam quando a diversidade se torna motivo de aprendizagem e de respeito mútuo. E esta tem sido uma das principais orientações do prefeito Hildo do Candango”, disse o secretário.

O 2º Desfile Inclusivo de Águas Lindas de Goiás é um evento para apresentar as pessoas com deficiências, que demonstram todo o seu potencial de expressão corporal, mental e social junto à comunidade. Para que isso aconteça, é necessário que todos tenham um treinamento exclusivo, por se tratar de pessoas com limitações físicas ou intelectuais. Portanto, o evento é para que essas pessoas possam se sentir acolhidas e admiradas pela força de vontade em viver, mesmo com todas as limitações apresentadas.

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Hildo do Candango é reconhecido como uma unanimidade politica e referência de honestidade na região metropolitana de Brasília

Prefeito de Águas Lindas de Goiás e presidente da AMAB, Hildo do Candango, assume atualmente uma posição política privilegiada na região metropolitana de Brasília e no Estado de Goiás, onde representa e luta com afinco por 21 munícipios. Em virtude do seu caráter exemplar e de suas ações corretas como homem público, Hildo conquistou respeito junto às esferas do Governo Federal e Estadual, que não medem esforços para agraciarem o município com obras de grande porte.
"Hildo do Candango mudou a cara de Águas Lindas e é um exemplo para toda a região do Entorno. Por isso, não tenho nenhum problema em lhe confiar verbas importantes para serem aplicadas em favor da coletividade em seu município”, disse o governador Marconi Perillo durante a assinatura da Ordem de Serviço para continuidade dos trabalhos no bairro Jardim Pérola.

Em recente visita a Águas lindas, o deputado federal João Campos afirmou que, “como gestor, Hildo provou toda a sua capacidade adquirindo a confiança e a simpatia de todos os políticos e da população sendo reeleito para mais um mandato". O deputado João Campos liberou os recursos para a construção da Praça da Bíblia na cidade. Os prefeitos que compõe a AMAB têm declarado apoio irrestrito ao trabalho de Hildo do Candango. "Hildo é o nome mais indicado para concorrer ao governo do estado como vice de José Eliton. É trabalhador, honesto e tem a simpatia de todos", declara o prefeito de Alexânia, Dr. Allysson.

Prefeitura de Águas Lindas promove o evento de encerramento das comemorações do Dia do Idoso

A Prefeitura de Águas Lindas de Goiás, por meio de sua Secretaria de Assistência Social e do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), realizou uma série de atividades durante o mês de outubro para celebrar o “Dia do Idoso”, que é comemorado no dia 1º de outubro, data que marca a promulgação do Estatuto do Idoso. O encerramento das festividades aconteceu na chácara de eventos, localizada no setor Águas Bonitas I.
O evento contou com a participação de cerca de 300 beneficiários do SCFV e com a presença do vice-prefeito, Luiz Alberto Jiribita, da diretora do trabalho, Maria Fábia, da secretária de Assistência Social, Aleandra Sousa, e do visitante vereador em Planaltina de Goiás, Aroldo Alves. Na oportunidade, o vereador enalteceu o trabalho realizado pelo prefeito Hildo do Candango frente à Prefeitura de Águas Lindas.
“Nós realizamos os atendimentos em consonância com a Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais (Resolução CNAS nº. 109/2009). Este é o serviço realizado em grupos, organizado para garantir aquisições progressivas aos seus usuários, de acordo com o seu ciclo de vida, a fim de complementar o trabalho social com famílias e prevenir a ocorrência de situações de risco social, é um trabalho maravilhoso que se reflete na alegria contagiante dos participantes”, disse Aleandra Sousa.
O SCFV organiza-se de modo a ampliar trocas culturais e de vivências, desenvolver o sentimento de pertença e de identidade, fortalecer vínculos familiares e incentivar a socialização e a convivência comunitária. A intervenção social deve estar pautada nas características, interesses e demandas dessa faixa etária e considerar que a vivência em grupo, as experimentações artísticas, culturais, esportivas e de lazer e a valorização das experiências vividas constituem formas privilegiadas de expressão, interação e proteção social.

Além de objetivos gerais referentes ao Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, a Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais (Resolução CNAS n°. 109/2009) define objetivos específicos para o serviço para idosos: contribuir para um processo de envelhecimento ativo, saudável e autônomo; assegurar espaço de encontro para os idosos e encontros intergeracionais de modo a promover a sua convivência familiar e comunitária; e detectar necessidades e motivações e desenvolver potencialidades e capacidades para novos projetos de vida.

Prefeitura de Abadiânia realiza audiências públicas para discutir o Orçamento Participativo

Com o objetivo de ouvir a população e saber as suas demandas, a Prefeitura de Abadiânia promoveu a realização de audiências públicas para discutir sobre o Orçamento Participativo para o próximo ano. As audiências aconteceram na Câmara de Vereadores e contaram com a participação dos vereadores Clarindo Borges, Cleiton Abrantes, Ilvaney da Silva, Nilton Morais, Davy Feliz, Antônio Sérgio e Rosemar da Silva. As reuniões são um meio para que a população possa saber como está sendo gasto o dinheiro público.
“O Orçamento Participativo tem o intuito de ouvir a opinião dos vereadores e da população para que sejam realizados o Plano Plurianual (PPA), onde se prevê, entre outras coisas, as grandes obras públicas a serem realizadas nos próximos anos, com validade entre 2018 e 2021”, esclarece a assessoria de comunicação da Prefeitura de Abadiânia.
Para o prefeito Zé Diniz, as principais obras desenvolvidas no município são discutidas de forma conjunta durante as audiências, o que proporciona um planejamento completo e condizente com a realidade da cidade. “Já realizamos as medições e o projeto para que seja implantando o asfalto já está dentro do orçamento previsto. A obra deverá ser iniciada assim que a verba for liberada e licitada”, informa Zé Diniz.

O presidente da AMAB, Hildo do Candango, afirma que o trabalho realizado por Diniz à frente do Executivo é um exemplo a ser seguido por todos os administradores públicos. “Abadiânia tem dado exemplos de como se realiza políticas públicas com qualidade e decência. O prefeito Zé Diniz tem se mostrado nos últimos tempos um administrador de altíssima qualidade. Tenho acompanhado sua gestão e posso garantir que a cidade de Abadiânia está nos trilhos que levam um município ao desenvolvimento e ao aumento da qualidade de vida dos cidadãos”, ressaltou Hildo.

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Novo Refis é publicado no Diário Oficial; conheça os vetos

- O Di- ário Oficial da União publicou ontem (25) a Lei nº 13.496 de 2017, que institui o Programa Especial de Regularização Tributária (Pert). A lei foi publicada com vetos do presidente da República, Michel Temer. No início deste mês, o plenário do Senado aprovou a medida provisória (MP) que permite o parcelamento com descontos de dívidas com a União, tanto de pessoas físicas quanto de empresas. Conhecida como MP do Refis, a Medida Provisória 783/2017, perderia a validade no dia 11 deste mês. De acordo com o texto aprovado, a adesão ao Pert vai até o dia 31 deste mês. Um dos vetos era o que permitia adesão ao parcelamento e descontos de dívidas para as micro e pequenas empresas, optantes pelo Simples. O texto também fixava em R$ 400 o valor mínimo de cada prestação mensal para as micro e pequenas empresas. “O Simples Nacional é regime de tributação especial instituído por lei complementar e, portanto, não pode ser alterado por meio de lei ordinária”, diz o presidente, nas explicações para os vetos. “Além disso, abrange débitos tributários federais, estaduais e municipais, de forma que não podem a Secretaria da Receita Federal do Brasil e a Procuradoria- -Geral da Fazenda Nacional disciplinar sobre o parcelamento desses débitos, cuja competência é do Comitê Gestor do Simples Nacional”, acrescentou. Temer também vetou o artigo poderia reduzir a arredação. O artigo zerava as alíquotas do Imposto de Renda, da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) e do PIS/Cofins incidentes sobre a receita obtida pelo cedente com a cessão de créditos de prejuízo fiscal e de base de cálculo negativa da CSLL para pessoas jurí- dicas controladas, controladoras ou coligadas. A justificativa do veto foi o dispositivo “prever significativa renúncia de receita sem a estimativa do seu impacto or- çamentário-financeiro”. Outro veto foi à proibição de excluir do parcelamento pessoas jurí- dicas que se encontram adimplentes, mas cujas parcelas mensais de pagamento não são suficientes para amortizar a dívida parcelada, salvo em caso de comprovada má-fé. A motivação foi o fato de que as parcelas, “representadas por valores irrisórios, inferiores ao valor dos juros, jamais possibilitarão a quitação do débito, indo de encontro à lógica e ao motivo legal de se permitir parcelar”. No veto, Temer acrescentou que o Código Tributário Nacional determina que o parcelamento deve ser concedido com prazo de duração para a quitação da dívida. “A não exclusão do contribuinte desses parcelamentos equivaleria à concessão de remissão da dívida, motivos pelos quais o dispositivo não merece prosperar”, diz.

Prefeito Hildo do candango fortalece a união dos prefeitos na região metropolitana de Brasília


O fortalecimento das ações em favor do desenvolvimento dos municípios adjacentes a Brasília, promovido pelo atual presidente da AMAB, Hildo do Candango, tem incentivado o surgimento de novas lideranças na região. Os prefeitos se uniram ao despertarem sobre as questões comuns de seus municípios, como o transporte público, meio ambiente, infraestrutura, educação, saúde, entre outros.
Unidos, os governantes municipais buscam a solução para sanar as dificuldades junto aos órgãos federais e estaduais. “Sem dúvida, todos estamos felizes em poder contribuir para o desenvolvimento desta região. Este é um trabalho feito em parceria e nossas cidades alcançarão cada vez mais conquistas se trabalharmos em unidade”, disse Hildo do Candango.

Entre as propostas de desenvolvimento apresentadas por Hildo do Candango à frente da AMAB está o programa Em direção ao futuro, que visa impulsionar a integração do transporte público e a mobilidade urbana sustentável dos municípios do Entorno do Distrito Federal com a criação do consórcio entre os municípios para fortalecer os objetivos do grupo.

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

MP desarticula quadrilha no governo Magal em Caldas Novas


Os promotores de Justiça Christiano Menezes da Silva Caires e Pedro Eugênio Beltrame Benatti denunciaram, no âmbito da Operação Carnê da Alegria, deflagrada em Caldas Novas, em agosto de 2017, sete pessoas pelos crimes de associação criminosa, lavagem de dinheiro, e outros, praticados durante procedimento de dispensa de licitação e do pregão para impressão do carnê de IPTU do município, de acordo com a participação de cada um. O MP também está acionando os envolvidos e o município por atos de improbidade administrativa, com pedido de ressarcimento de danos aos cofres públicos. Respondem à denúncia Felipe Rocha Gama Sobral; Cláudio Fernando dos Santos, chefe do Departamento de TI do município; Adriana Gonçalves, então secretária de Finanças; Rosane Rodrigues Rosa, pregoeira da Comissão de Licitação; Vilmar Ivo Pereira, diretor do Departamento de Arrecadação; Fransswellen Carvalho da Silva e Aelton Nascimento. CRIMES De acordo com o MP, os sete denunciados se associaram, entre outubro de 2016 e agosto de 2017, para cometer crimes relacionados à contratação e pagamento de serviços de confecção de boletos de IPTU, praticando condutas criminosas como falsificação dos orçamentos fornecidos pelas empresas em procedimentos de dispensa de licitação, dispensa indevida de licitação, constituição de empresa de fachada para fraudar licitação e propiciar o repasse de valores aos membros da associa- ção que são do quadro de servidores, crimes de falsidade ideológica em documento públicos, fraude à licitação e de documentos públicos, peculato e lavagem de dinheiro. Cláudio, como chefe do Departamento de TI, promovia a solicitação dos serviços de impressão dos boletos, tanto na dispensa de licitação quanto no pregão, e atestou a sua execução pela Gráfica Criativa. Ele também cooptou Felipe, para que cedesse seu nome para possibilitar fraude ao pregão, promovendo ainda juntada de todos os papéis que possibilitaram as irregularidades nesses dois procedimentos. O diretor de Arrecada- ção, Vilmar Ivo, também tinha a incumbência de solicitar o serviço, requerendo o complemento de 7 mil cópias do boleto de IPTU no procedimento de dispensa de licitação e no pregão. O diretor era responsável por atestar se o serviço foi cumprido ou não. O diretor foi fiscal do contrato do pregão e foi responsável pela elabora- ção do termo de referência que possibilitou a sua abertura, a fim de conferir ares de legalidade a toda artimanha criminosa. Vilmar também concedeu alvará de funcionamento falsificado à empresa FRG Sobral ME, mesmo sendo de fachada. A empresa pertencia, na verdade, ao chefe de TI, Cláudio Fernando. Segundo a denúncia, Rosane, a pregoeira da Comissão de Licitação teve como função elaborar o edital relativo à confecção dos boletos e foi quem retirou a exigência de qualificação técnica prevista em edital anterior ao pregão, o que possibilitou a participação da empresa de fachada do grupo criminoso, e simulou a existência de uma sessão, em dezembro de 2016, para dar ares de legalidade ao procedimento. Por ser a pregoeira, adjudicou o procedimento e realizou um aditivo ideologicamente falso no contrato, retirando- -lhe parte do objeto, o que não era de sua atribuição. Conforme apurado, a secretária de Finanças e parente de consideração de Rosane, Adriana Gon- çalves, funcionou como elo final e mais importante do esquema, pois determinava o pagamento de valores, sendo de sua atribuição a homologa- ção do pregão. Ela promoveu ainda a confecção do contrato com a empresa fraudulentamente criada pelo grupo e pagou os valores decorrentes da licen- ça indevida de licitação e do pregão, inclusive, por meio de cheque, quando o edital exigia a transferência bancária. Consta da denúncia que Felipe foi cooptado pelo chefe da TI para ceder seu nome para a constituição fraudulenta da empresa e possibilitar o recebimento dos valores pagos pelo município, o que foi feito por meio de Fransswellen, que, embora não seja integrante da associação criminosa, responderá por lavagem de dinheiro. LICITAÇÃO, PREGÃO E LAVAGEM DE DINHEIRO Os promotores relatam que Cláudio, Adriana e Vilmar falsificaram documentos particulares, mais especificamente os orçamentos para formalização da dispensa de licitação. Os três e Rosane dispensaram licitação fora das hipóteses previstas em lei. Em relação ao pregão, Felipe, Cláudio, Adriana, Rosane e Vilmar inseriram declaração falta em documento público para alterar a verdade e, assim, possibilitar a criação da empresa de fachada FGR Sobral ME. Em diversas ocasiões e com diferentes composições, incluindo a participação de Aelton, também fraudaram o caráter competitivo da licitação para obtenção de vantagem e falsificaram documentos particulares. A denúncia aponta que Felipe, Cláudio, Adriana e Fransswellen dissimularam a origem dos valores provenientes de infração penal. OS CRIMES Felipe Rocha Gama Sobral foi denunciado pelos crimes de associação criminosa, frustrar ou fraudar licitação, falsificação de documento particular, falsidade ideológica, peculato e lavagem de dinheiro, enquanto Cláudio Fernando dos Santos e Adriana Gonçalves responderão também por todos esses crimes e ainda pela dispensa de licitação fora das hipóteses previstas em lei. Rosane Rodrigues Rosa responderá por associa- ção criminosa, fraude a licitação, falsificação de documento particular, falsidade ideológica, peculato e lavagem de dinheiro. Vilmar Ivo Pereira por associação criminosa, dispensa de licitação fora das hipóteses previstas em lei e falsificação de documento particular, frustrar ou fraudar licitação, falsidade ideológica e peculato. Já Fransswellen Carvalho a Silva foi denunciada por lavagem de dinheiro e Aelton Nascimento por falsidade ideológica. PERDA DE CARGOS O MP requereu, portanto, o ressarcimento aos cofres públicos, bem como a perda definitiva dos cargos públicos dos denunciados Cláudio Fernando, Adriana Gonçalves, Rosane Rodrigues, Vilmar Ivo e Aelton Nascimento. Até o final do processo criminal, foi pedido o afastamento de seus cargos, a proibição de acesso às dependências da prefeitura de Caldas novas e vedação de contrato entre si. Em relação a todos os denunciados, o MP requereu a indisponibilidade de bens, entre outras medidas. IMPROBIDADE E RESSARCIMENTO DE DANOS Os promotores esclarecem que as condutas dos denunciados criminalmente também encontram correspondência na Lei de Improbidade Administrativa. Assim, uma ação por improbidade administrativa foi movida contra Felipe, Cláudio. Adriana, Rosane, Vilmar, Fransswellen, Aelton e o município de Caldas Novas, em que foi requerido, liminarmente, o afastamento de Adriana, Cláudio, Vilmar e Rosane de seus cargos, a suspensão do Pregão n° 100/2016, ficando proibidos pagamentos à empresa RFG Sobral pela execução dos serviços contratados, bem como o bloqueio de contas bancárias e aplicações dos acionados e o bloqueio de seus bens. PREFEITO E VICE CASSADOS O Prefeito Evandro Magal e seu Vice Fernando Resende, estão com seus mandatos cassados pela Justiça Eleitoral, em primeira instância, mas continuam no cargo até julgamento em segunda instância. Segundo conversas via WhatsApp do vereador Rafael Morais (PTB), que é líder do prefeito na câmara de vereadores em Caldas Novas, a situação estaria toda controlada no Tribunal e que Magal sairá vitorioso por unanimidade no TRE em Goiânia
Prefeitura avança com as obras de pavimentação asfáltica no Jardim Brasília II
Com o apoio das equipes da Secretaria de Obras e Serviços Urbanos, a Prefeitura de Águas Lindas de Goiás está realizando a obra de pavimentação asfáltica na segunda via da principal avenida comercial do setor Jardim Brasília II (Antiga Cidade do Entorno). O material usado é o CBUQ, conhecido popularmente como asfalto quente, que trará conforto e segurança para os usuários da via.
O prefeito Hildo do Candango informou que esta via está recebendo este tipo de pavimentação em virtude do grande fluxo de veículos pesados, como ônibus e caminhões que realizam entregas no comercio local. “Nossa intenção é garantir uma pavimentação de qualidade em todo o Jardim Brasília II. Outras avenidas já estão sendo preparadas para receber a pavimentação”, disse Hildo.
O secretário de Obras e Serviços Urbanos, José Fernando (Dinando), disse que a Secretaria realiza o acompanhamento da execução de cada etapa do serviço para garantir a qualidade. “Realizamos visitas constantes nos canteiros de obras e também temos uma empresa gerenciadora com um laboratório que garante a qualidade do serviço realizado”, informou o secretário.

O trecho da segunda via que está recebendo a pavimentação inicia-se no cruzamento da Escola Municipal Emília Ferreira e vira na via de acesso à Feira do Entorno e ao Jardim Brasília. A obra está trazendo para a região, uma beleza urbanística que valoriza toda a cidade.

FALSA MÉDICA É PRESA APÓS ATENDER MAIS DE 400 PACIENTES EM HOSPITAL

Uma mulher foi presa em flagrante nesta terça-feira (24), suspeita de atuar como falsa médica na Santa Casa de Ibirá (SP). A polícia chegou até a estelionatária depois de denúncia dos próprios funcionários do local, que desconfiaram dela.
De acordo com informações da polícia, a suspeita de 41 anos atendia como dermatologista usando o nome de uma médica de São Paulo. Segundo a Polícia Civil de Ibirá, o carimbo usado nas receitas , com o número do CRM, teria sido furtado da clínica da profissional no bairro Vila Mariana, em São Paulo.
A polícia informou que a falsa médica confessou o crime de usar o carimbo furtado na delegacia e deve responder por falsa identidade e exercício ilegal da profissão. A suspeita disse também que é formada em medicina na Bolívia, mas não apresentou documentação.

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Os postos de combustíveis do estado de Goiás.

Os postos de combustíveis do estado de Goiás vão passar por inspeção e auditoria do Instituto Nacional de Metrologia Qualidade e Tecnologia (Inmetro). Hoje (24), o Diário Oficial da Uniãopublica portaria do Inmetro que institui uma força-tarefa com esse objertivo. A medida visa a apurar denúncias de corrupção no setor, apresentadas à Polícia Federal (PF).
As denúncias levaram a PF deflagrar a Operação Pesos e Medidas no último dia 17, para desarticular uma associação criminosa que vinha atuando contra o Inmetro em Goiás, por meio da prática de crimes de corrupção.
A investigação, iniciada em 2015, constatou o recebimento de propina por fiscais do órgão que deveriam fazer testes de volumetria nos bicos das bombas de combustível dos postos para evitar lesão aos consumidores.
De acordo com a PF, além de receber propina de donos de postos, os investigados faziam fiscalização a mando de proprietários de outros postos, com o objetivo de dificultar a ação da concorrência.
Durante a operação, os policiais federais cumpriram dez mandados de prisão em Brasília, além de Anápolis e Goiânia, em Goiás.

sábado, 21 de outubro de 2017

MAG ABRE EXPOSIÇÃO DE FOTOS HISTÓRICAS DE GOIÂNIA

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult) e Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh), abre nesta sexta-feira, 20, a exposição ‘47 anos do MAG comemorando os 84 anos de Goiânia’. A abertura da mostra será às 19 horas no Museu de Arte de Goiânia (MAG), localizado no Bosque dos Buritis. 
São 40 imagens pertencentes ao acervo fotográfico da Gerência de Patrimônio Artístico e Cultural da Seplanh, ampliadas no tamanho 60x70 cm. Os registros fotográficos, em preto e branco, rememoram as primeiras décadas da capital idealizada por Pedro Ludovico Teixeira, espaços públicos, cenários de encontros e lazer das famílias, monumentos, edifícios, avenidas e acontecimentos singulares. A mostra traz ainda fragmentos das comemorações do Batismo Cultural de Goiânia, que ocorreu em 1942, festividade que mobilizou toda a cidade, vários municípios goianos e estados brasileiros e que contou com uma programação extensa e diversificada que teve início em 14 de junho e prolongou-se até o dia 10 de julho.
De acordo com o supervisor administrativo do MAG, Antonio da Mata, o objetivo é divulgar o acervo fotográfico histórico da Capital visando fortalecer a identidade do cidadão goianiense com a sua cidade. A mostra é realizada em comemoração do aniversário de 84 anos de Goiânia. 
As fotografias foram feitas por quatro fotógrafos pioneiros, Alois Feichtenberger, Eduardo Bilemjian, Hélio de Oliveira e Sílvio Berto, e referem-se ao final das décadas de 1930, 1940, 1950 e início da década de 1960.

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

            ADOLESCENTE ABRE FOGO DENTRO DA SALA DE AULA E MATA COLEGAS EM GOIÂNIA


Uma tragédia na manhã desta sexta-feira (20/10), um adolescente atirou conta seus colegas na sala de aula, em um colégio no Conjunto Riviera, em Goiânia (GO), deixou dois adolescentes mortos e cinco gravemente feridos.
Segundo informações preliminares, o garoto levou uma arma para a escola e efetuou vários disparos. A Polícia Militar chegou ao local e apreendeu o autor, que é menor de idade.
Cinco viaturas do Corpo de Bombeiros se deslocaram para o local para fazer o atendimento das vítimas. Mais detalhes sobre o caso, daqui a pouco.
       Conclusão das obras da Escola Estadual do bairro Mansões Village beneficiará milhares de estudantes no município
O prefeito de Águas Lindas de Goiás, Hildo do Candango, anunciou nesta semana que a obra da Escola Estadual do bairro Mansões Village está em fase de acabamento e deve ser concluída até o final de novembro. A obra de construção desta escola, que segue o padrão século XXI, recebeu mais de R$ 2,5 milhões em investimentos.
O morador do bairro, Antônio Rodrigues, 31 anos, declarou que a população do bairro Mansões Village e dos bairros vizinhos se sente orgulhosa com a conclusão da obra da escola. “Moro aqui desde o ano de 1999 e tenho visto esse bairro crescer, melhorando a condição de vida dos moradores. Com este colégio, tudo vai ficar mais fácil em nossas vidas, pois ali sabemos que nossos filhos estarão seguros”, enfatizou Antônio Rodrigues.
A escola estadual contará com 12 salas de aula, um auditório com 200 lugares, sala de informática, mecanografia, biblioteca, quadra poliesportiva coberta, laboratório de ciências, além das salas para a direção, os professores e a coordenação. Para o prefeito Hildo do Candango, “o investimento maciço na área da educação é de fundamental importância para o crescimento e o desenvolvimento da sociedade. O setor de educação é uma prioridade na atual administração municipal e todas as escolas municipais também receberam reformas e outros benefícios.
                                 Ceilândia recebe mostra de dança beneficente
O projeto “Dança à Mostra (DàM)” chega em sua quinta edição, neste ano, sagrando-se como tradicional evento no Distrito Federal no campo das expressões corporais. Depois de passar em Taguatinga, Sobradinho e Samambaia, em agosto, setembro e início de outubro, e atrair cerca de 600 pessoas durante o evento, é a vez de Ceilândia receber o encerramento da iniciativa na segunda quinzena do mês de outubro (21 e 22/10, às 20h). Na ocasião, artistas de diferentes estéticas corporais, como do balé clássico, da dança de salão, da dança do ventre, do sapateado, e da dança de rua se reunirão no palco. “O espetáculo unirá beleza e diversidade”, afirma o idealizador da mostra, o professor de dança Janson Damasceno. Três palavras definem o projeto: fomento, vitrine e filantropia. Fomento porque é dado espaço para artistas de diferentes segmentos se apresentarem. Vitrine porque a cultura é levada para diferentes regiões, descentralizando a produção. E, por fim, filantropia porque se trata de uma ação beneficente. Na entrada do espetáculo serão recolhidos alimentos não perecíveis e doados à Rede Solidária Anjos do Amanhã, vinculada ao Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT). Na edição de Taguatinga, por exemplo, foram mais de 180Kg de mantimentos entregues a instituições de assistência a pessoas em situação de vulnerabilidade. Valorização O DàM permite, ainda, o entrosamento entre os artistas, a valorização do trabalho individual, além de projetar o resultado do conjunto. “Convidamos profissionais com trabalhos consagrados e reconhecidos por sua excelência a participarem do projeto. E, nesse contexto, dançarinos com necessidades especiais têm espaço garantido – inclusão que mantemos com imensa satisfação desde a primeira edição”, menciona. Ceilândia receberá duas apresentações, com programação, sempre, a partir das 20h. O “Dança à Mostra” tem a chancela da Secretaria de Estado de Cultura do DF, sendo patrocinado pelo Fundo de Apoio à Cultura (FAC). Conta, também, com parcerias do SEST/SENAT de Samambaia, do SESC de Ceilândia e do Teatro de Sobradinho. Os interessados em apoiar a ação podem entrar em contato com a coordenação do projeto, por meio do telefone: (61) 98148-0326.

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Prefeitura de Águas Lindas realiza a Semana da Criança no polo do SCFV para crianças e adolescentes



A Prefeitura de Águas Lindas, por meio de sua Secretaria de Assistência Social, está realizando a Semana da Criança na sede do Serviço de Convivência e Fortalecimentos de Vínculos (SCFV) para as crianças e adolescentes, localizada no Jardim Pérola I. Durante o evento, está ocorrendo uma grande gincana entre os participantes na unidade, com o intuito de promover a integração das crianças e adolescentes.
A secretária de Assistência Social, Aleandra Sousa, visitou a unidade na tarde desta terça-feira (17), levando aos beneficiários a mensagem sobre seus direitos, e ficou muita satisfeita como o trabalho desenvolvido por toda a equipe coordenada por Edna Fernandes. “Esta semana da criança faz parte da nossa ação estratégica do PETI, que é coordenado pela assistente social Beatriz Lima, que tem como objetivo principal o combate ao trabalho infantil. Toda a nossa população deve aderir a esta ideia, ofertando a nossas crianças a segurança necessária para que elas desenvolvam-se e tornem-se cidadãos melhores”, disse Aleandra.
A coordenadora do polo do SCFV para crianças e adolescentes informou que hoje 219 crianças na faixa etária de 7 a 12 anos e 80 adolescentes de 13 a 17 anos são atendidos na unidade, em que são oferecidas a eles as atividades de teatro, circo, musica, dança e atividade físicas. “O principal objetivo trabalhado pelos nossos facilitadores é a promoção da socialização, ocasionando no fortalecimento dos vínculos familiares. Nós também focamos nos pais destes beneficiários com outras oficinas e os resultados são fantásticos”, disse a coordenadora Edna Fernandes.

Ao final do dia, todas as crianças receberam brinquedos e um farto lanche, proporcionando ainda mais alegria aos presentes. As crianças e adolescentes que participam do programa são de toda a cidade, nos quais os pais buscam apoio das unidades do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), que são o CRAS do Jardim Barragem II, o CRAS da Praça CEU, localizado no Setor 11 e o CRAS Santa Lúcia.

PCDF CUMPRE MANDADOS CONTRA GRUPO QUE DESVIAVA DINHEIRO DA FAP

A Polícia Civil do Distrito Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira (18), uma operação para cumprir sete mandados de busca e apreensão contra um grupo criminoso responsável por desviar dinheiro público da Fundação de Apoio à Pesquisa do DF (FAP). As fraudes teriam sido iniciadas em 2010 e seguiam até atualmente.
Segundo investigadores, ficou comprovado que um convênio firmado entre a FAP e o Instituto de Estudos e Projetos de Interesse Social (IEPIS), no valor de R$ 2,5 milhões, serviu de pano de fundo para que o dinheiro público fosse desviado em proveito de particulares, por meio da subcontratação ilegal de outras três empresas.
Levantamentos da Auditoria da Controladoria do Distrito Federal apontaram outras irregularidades e evidência de não realização do objeto do convênio. Um secretário de Estado, um subsecretário e o presidente da FAP/DF são investigados pela utilização do recurso público, destinado à fundação pública, em proveito próprio.
Para tanto, os envolvidos utilizaram-se de um convênio com empresa do terceiro setor – o IEPIS e as outras empresas para a conclusão do desvio.
“Em pouco mais de um mês, esse dinheiro sumiu das contas em que foi depositado”, destaca o chefe da DECO, Luiz Henrique Dourado.
Segundo o delegado, consta em uma das páginas do inquérito policial instaurado pela PCDF, uma fotografia do subsecretário de Estado abraçado com um
dos ganhadores da licitação do convênio, em frente ao Estádio Camp Nou, gastando o dinheiro público desviado.
Encabeçada pela, Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Deco), a operação foi batizada de Campo Novo. Os mandados são cumpridos no DF, em Goiânia e Luziânia (GO). Conforme a polícia, a operação conta com a participação de 30 agentes, cinco delegados e cinco escrivães de polícia do DF e o apoio da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), da Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO).
Os envolvidos irão responder pelos crimes de associação criminosa, peculato, dispensa indevida de licitação, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.PCDF cumpre mandados contra grupo que desviava dinheiro da FAP

Leia também