.

.

HORA CERTA

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

O governador eleito, Ronaldo Caiado (Democratas), lança, na próxima terça-feira (18/12) o livro “O Colapso da República”. O evento será realizado a partir das 19h, na Casa da Indústria, sede da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (FIEG), na capital goiana. A publicação, por intermédio de discursos e artigos do senador e próximo governador de Goiás, remonta e faz uma análise da crise política e econômica do País desde o período prévio ao processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff até os anos recentes com a gestão Michel Temer. Em sua interpretação do cenário em questão, Caiado antecipou a continuidade da instabilidade política no país após a impedimento da petista, caso não houvesse a refundação da República a ser iniciada pela antecipação das eleições gerais. “É uma prestação de contas não apenas ao eleitor goiano, que me incumbiu mais uma vez de representá-lo no Congresso Nacional, onde cumpro mandatos desde 1990 – 24 anos como deputado federal e há quatro anos como senador -, mas ao povo brasileiro em geral”, expressa o senador na introdução do livro concluído antes das eleições deste ano. O livro alterna alguns dos discursos mais marcantes de Ronaldo Caiado durante seu mandato no Senado, além dos artigos publicados por pouco mais de dois anos (2015-2017) no jornal Folha de S. Paulo. Para contextualizar o leitor, a publicação é dividida em capítulos que reúnem os textos correlatos: Impeachment; Governo Temer, Esperança e Frustação; Eleições; Corrupção, Lava-Jato e Criminalidade; a Crise Econômica; Desafios de Goiás; Homenagens Políticas; Homenagem a um Antepassado. O leitor poderá relembrar e ter uma análise detalhada e coerente de processo de impeachment da ex-presidente Dilma, em 2016, que teve uma notória e importante participação do atual líder do Democratas. Naquele momento, além de mostrar com provas a impossibilidade da continuidade do governo petista, ele externou as consequências da era do PT para o Brasil e os perigos de não se zerar o cenário político, abalado por escândalos de corrupção expostos pela operação Lava-Jato, com a antecipação das eleições gerais. Trata-se de uma leitura esclarecedora sobre um momento recente do Brasil que trouxe um enorme desencanto do povo em relação à política. “Não foi a direita ou a esquerda que fizeram o impeachment. Foi o povo. Não há conteúdo ideológico nesse processo. O impeachment foi e é – medida de higiene moral” (trecho do discurso de Caiado no final do processo de impeachment, em 2016, publicado no livro).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) Visitante

Deixe seu comentário.
Assim que o ler, publicarei e o responderei.
Volte para saber a resposta.

* Mas qualquer comentário ofensivo e insultuoso será
ignorado e não será respondido.

¸¸.•´¯`•.¸¸•.¸¸.•´¯`• Um abraço¸¸.•´¯`•.¸¸•.¸¸.•´¯`•

Leia também