.

.

HORA CERTA

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Goiânia sedia quarta edição de colônia inclusiva baseada em modelo norte-americano

Idealizada pela mestre em Psicologia Maria Paula Chaim, a quarta edição da colônia de férias inclusiva, voltada para crianças com atraso no neurodesenvolvimento, será realizada na próxima semana, entre os dias 14 e 18 de janeiro, em Goiânia. As atividades estão baseadas no modelo de intervenção DIR/Floortime, criado na década de 1980, com a finalidade de formar os alicerces essenciais para o desenvolvimento da criança, a partir da validação dos relacionamentos e dos vínculos afetivos. O floortime atende a diversos contextos de deficiência, como autismo, síndrome de down, entre outros. A colônia de férias, que terá como tema os animais do safari, será realizada no Hilton Garden Inn, sempre das 8 às 12 horas. Uma das novidades desta edição é que cada participante terá acompanhamento de uma mediadora exclusiva. Além disso, na quarta-feira, 16, está prevista uma surpresa para as crianças, a partir das 10 horas: a presença de um cão da raça Golden. “Estudos em todo o mundo cada vez mais evidenciam como os cachorros, principalmente de algumas raças, beneficiam o tratamento das pessoas com autismo. Na Universidade de Missouri por exemplo, pesquisadores chegaram à conclusão de que os pacientes que convivem com cães desenvolvem mais as habilidades sociais”, explica Maria Paula Chaim. A idealizadora da colônia em Goiânia destaca ainda que as crianças vão participar durante toda a semana de atividades lúdicas em três salas de estimulação: uma de cognição e habilidades sociais, liderada pela também psicóloga Marcela Junqueira; outra de música e linguagem, sob a responsabilidade da musicoterapeuta Kelly Tobias; e uma terceira na área de motricidade, coordenada pelo educador físico Felipe Augusto. “Outras duas novidades, em 2019, são o recreio sensorial, que tem o intuito de organizar sensorialmente as crianças antes do início das atividades, e que será desenvolvido pela terapeuta ocupacional Rejane Damaceno, e também uma apresentação com o grupo de teatro Saltimbancos, na sexta-feira, dia 18”, complementa Maria Paula. Participam desta quarta edição da colônia 36 crianças, com idade de 1 a 10 anos, 33% a mais do que em 2018. Os pequenos, além de Goiânia, são de Trindade, Itapaci, Goianira, Minaçu, Caldas Novas, Hidrolina e Inhumas. Trinta por cento das vagas foram preenchidas com cotas sociais, ou seja, sem custo algum para a família. PALESTRAS – Enquanto as crianças aprendem e se divertem, os pais poderão assistir a palestras sobre os mais variados assuntos. Na roda de discussão, temas como “autismo e autoestima”, “avaliação e reabilitação neuropsicológica”, “aquisição e desenvolvimento da linguagem”, “educação financeira”, entre outros. O time de palestrantes é formado por Maria das Graças Brasil (neurologista), Isabella Santiago (pediatra); Fernanda Guedes Afiune (neuropsicóloga); Lívia Tomás (psicóloga); Daniela Brom (fonoaudióloga); Rejane Damaceno (terapeuta ocupacional); Gulliver Augusto (educador físico); Ana Clara Barros (pedagoga) e Marcell Amorim (gestor econômico). Para viabilizar um projeto como esse, que já ocorre há mais tempo em cidades como Recife, em Pernambuco, Maria Paula executou um planejamento de mais de seis meses, que incluiu treinamento com as mediadoras e questionários com os pais. Ela contou com o apoio de patrocinadores e incentivadores, como as empresas TGCore, FGR, Tecfield, Italac, Piracanjuba, entre outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) Visitante

Deixe seu comentário.
Assim que o ler, publicarei e o responderei.
Volte para saber a resposta.

* Mas qualquer comentário ofensivo e insultuoso será
ignorado e não será respondido.

¸¸.•´¯`•.¸¸•.¸¸.•´¯`• Um abraço¸¸.•´¯`•.¸¸•.¸¸.•´¯`•

Leia também