.

.

HORA CERTA

sábado, 9 de fevereiro de 2019

SAÚDE - EMBOLIZAÇÃO DA PRÓSTATA X RELAÇÃO SEXUAL

Normalmente os homens parecem preparados para lidar com qualquer tipo de situação, seja um pneu furado, uma barata voadora ou um problema no trabalho. Em contrapartida os homens têm dificuldades em relação ao cuidado com a saúde. Um levantamento feito pelo Centro de Referência da Saúde do Homem, órgão da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, mostra que 60% (1,5 mil) do total de pacientes do sexo masculino acima dos 40 anos já estão com doenças em estado considerado avançado quando procuram o centro para tratamento.
Muitos problemas de saúde sexual podem estar relacionados aos hábitos poucos saudáveis que os homens levam no dia a dia além de poderem interferir na masculinidade e insegurança na hora do sexo. Pesquisa feita pelo Projeto Sexualidade (ProSex), da Universidade de São Paulo, entrevistou 1530 homens e perguntou se eles tinham algum medo em relação ao sexo. A maior parte dos homens, 54,8%, disse que tem medo de não satisfazer a parceira. Já o segundo maior temor de 48% deles é pegar alguma doença sexualmente transmissível (DST). Ainda indicado por muitos homens como um medo na hora do sexo está no de perder a ereção. O Dr. Francisco Carnevale, montou uma lista com os sete principais mitos e verdades dos homens sobre próstata aumentada e relação sexual:
Próstata aumentada, compromete o apetite sexual
Mito
Depois de realizar o tratamento de Embolização da Próstata o paciente deve ficar por um período de 10-15 dias sem relação sexual
Verdade
A frequência da atividade sexual interfere na Hiperplasia Benigna Prostática
Mito
As primeiras ejaculações podem conter um pouco de sangue ou apresentar conteúdo amarronzado.
Verdade
A próstata e as vesículas seminais não devem ficar em repouso após o tratamento
Mito
Com a redução do volume da próstata os pacientes podem apresentar diminuição do volume ejaculado.
Verdade
Após o procedimento de Embolização da próstata a ejaculação é retrógrada (interna).
Mito
Prof.  Dr. Francisco Cesar Carnevale – médico do CRIEP – Carnevale Radiologia Intervencionista Ensino e Pesquisa – autoridade médica referência nacional e internacional em Radiologia Intervencionista, Angiorradiologia e Cirurgia Endovascular. Sua principal linha de pesquisa está focada no tratamento de pacientes com sintomas do trato urinário inferior associados ao crescimento da próstata pela Hiperplasia Prostática Benigna (HPB). Pioneiro a publicar na literatura científica mundial, a técnica de Embolização das Artérias da Próstata (EAP) dentro do Hospital das Clínicas da FMUSP, sob a supervisão dos professores Miguel Srougi e Giovanni Guido Cerri.  É diretor de Radiologia Vascular Intervencionista do Instituto de Radiologia (InRad-HCFMUSP), do Instituto do Coração (InCor-HCFMUSP) e do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo (SP). É responsável pelas disciplinas de Graduação e Pós-graduação na área de Radiologia Intervencionista da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP).
CRIEP – Carnevale Radiologia Intervencionista Ensino e Pesquisa – centro médico e de pesquisas que é referência nacional e internacional nas áreas de Radiologia Intervencionista e Cirurgia Endovascular, especialidades voltadas ao tratamento minimamente invasivo de doenças com o auxílio de métodos de imagem. Desde 1997, por meio de uma equipe de médicos da Universidade de São Paulo (USP) formada pelo Prof. Dr. Francisco Cesar Carnevale, Dr. Airton Mota Moreira e Dr. André Moreira de Assis, o CRIEP oferece, aos pacientes, uma série de tratamentos por meio de técnicas e equipamentos tecnológicos mais avançados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) Visitante

Deixe seu comentário.
Assim que o ler, publicarei e o responderei.
Volte para saber a resposta.

* Mas qualquer comentário ofensivo e insultuoso será
ignorado e não será respondido.

¸¸.•´¯`•.¸¸•.¸¸.•´¯`• Um abraço¸¸.•´¯`•.¸¸•.¸¸.•´¯`•

Leia também