A notícia em primeira mão: Caiado diz que Detran deve ser a área em que o goiano melhor sentiu a sua gestão

segunda-feira, 22 de julho de 2019

Caiado diz que Detran deve ser a área em que o goiano melhor sentiu a sua gestão

Da redação - O governador Ronaldo Caiado fez um balanço dos seus 200 dias de governo durante entrevista aos programas O Mundo em Sua Casa e Fala Goiás em Rede, das Rádio RBC FM e Brasil Central AM, que foi retransmitido por quase 40 emissoras. O jornalista Lenigher Mota, correspondente do Gazeta do Estado, que participou do segundo programa representando o jornal, perguntou a Ronaldo Caiado sobre as realizações do seu governo no Detran, o governador disse que essa deve ter sido a área em que o goiano mais sentiu sua gestão. Caiado observou que tirou o pardalzinho, que ficava escondido, “a armadilha que havia montada”, extinguiu a taxa de cartório para veículo financiado, que era de R$ 182,00, diminuiu o que se pagava pela vistoria, de R$ 175,00 para 108,00, fez críticas ao Tribunal de Contas do Estado, no que denominou de “incoerência do TCE”, que deu uma decisão contrária a isso, mas disse que está recorrendo e acha que terá sucesso, diminuiu a taxa da placa do carro, que era de R$ 190,00 para R$ 120,00, e de motos, que era de R$ 150,00 para R$ 52,00, além de ter iniciado uma cruzada contra a placa do Mercosul, que aumenta custo, e de fazer opcional o uso do simulador. Devolvendo dinheiro ao cidadão - “Só de revisão de contratos, com a equipe de compliance, nós já cortamos mais de R$ 46 milhões aos que ofereciam serviços lá no Detran. A previsão nossa é que nós devolvemos ao bolso do goiano, de R$ 136 milhões a R$ 142 milhões por ano. O que o cidadão gastava para poder ter um carro vistoriado, emplacado, certificado para poder transitar pelas rodovias de Goiás”, observou Caiado, acrescentando que ainda há a CNH Social a custo zero para pessoas carentes e da área rural, o que demandará R$ 11 milhões ao Detran. Durante a entrevista, Caiado falou também sobre geração de empregos. Apenas nestes seis meses de gestão, 26 empresas já assinaram o protocolo de intenção para se instalar no Estado. “Quinta-feira mesmo, um empresário do Rio Grande do Sul me disse: ‘vou visitar Goiás porque estou vendo a maneira com que o senhor está tratando o Estado e a maneira com que o senhor está sendo transparente conosco”, contou. Caiado abordou ainda a preocupação do governo em distribuir as novas empresas pelo interior do Estado, descentralizando a produção, gerando empregos e impulsionando a economia em todas as regiões. “Tivemos a preocupação de não concentrar as empresas em Goiânia, Anápolis e Aparecida [de Goiânia], mas dar oportunidade às cidades do interior. Essas 26 empresas nós distribuímos em 21 cidades no interior do Estado Goiás”, assegurou. No balanço dos seis primeiros meses de gestão, o governador destacou também as ações de recuperação do Rio Araguaia, além avanços na segurança pública, na educação e no setor agropecuário, com a concessão da Ferrovia Norte-Sul, que deve favorecer o escoamento da produção goiana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) Visitante

Deixe seu comentário.
Assim que o ler, publicarei e o responderei.
Volte para saber a resposta.

* Mas qualquer comentário ofensivo e insultuoso será
ignorado e não será respondido.

¸¸.•´¯`•.¸¸•.¸¸.•´¯`• Um abraço¸¸.•´¯`•.¸¸•.¸¸.•´¯`•

Leia também