A notícia em primeira mão: “Goiás cresceu, mas hoje não abrimos mão da nossa cultura e tradição”, afirma Ronaldo Caiado ao exaltar carreiros

segunda-feira, 26 de agosto de 2019

“Goiás cresceu, mas hoje não abrimos mão da nossa cultura e tradição”, afirma Ronaldo Caiado ao exaltar carreiros

Secom - O governador Ronaldo Caiado exaltou a importância da figura dos carreiros para a cultura goiana nesta última terça-feira (20/8), ao visitar a Igreja de São João Batista, no Arraial do Ferreiro, a seis quilômetros da cidade de Goiás, onde posteriormente participaria das homenagens aos 130 de Cora Coralina. Em um breve apanhado histórico, Caiado apontou como o trabalho desbravador destes homens foi fundamental nas origens do Estado e que por isso são parte indissociável de nossa tradição. “Aplaudo a iniciativa de resgatar todo esse nosso passado. Goiás cresceu, mas hoje não abrimos mão da nossa cultura e da tradição goiana que é o carro de boi”, afirmou o governador, lembrando que o Dia do Carreiro de Boi, instituído no calendário anual cívico e cultural do Estado, será comemorado no próximo dia 6 de setembro. Caiado lembrou que é parte de uma geração que chegou a conviver com essa realidade. “Houve períodos na minha vida nos quais, para chegar à fazenda do meu avô, minha mãe e irmã viajavam por dois dias no carro de boi, enquanto nós íamos a cavalo”, recordou-se. O governador lembrou ainda que os carreiros são os responsáveis por fazer com que a mercadorias chegassem a todas propriedades rurais do interior, especialmente nos idos de 1760, quando da chegada dos bandeirantes. “Aquele chiado próprio do carro de boi, a ‘roda cocão’, como nós chamamos, é um ruído especial. Uma tradição que chega até a arrepiar”, emocionou-se. O governador também se encantou com a beleza e os detalhes do altar da igreja, todo em madeira. A igreja, segundo informou o governador, é a única do Centro-Oeste no estilo barroco. “Isso vai fazer parte do Caminho de Cora Coralina, sendo mais dos inúmeros atrativos que as pessoas vão encontrar no trajeto entre a cidade de Goiás e Corumbá”, afirmou. Construída em 1761, com traços simples, a igreja é uma das poucas da cidade que ainda mantém um cemitério em seu terreno e está no caminho da antiga Estrada do Nascente, caminho oficial entre a cidade de Cuiabá e os estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo rumo ao Estado de Goiás. CHICO MINEIRO Mais cedo, o governador foi representado pelos secretários Wilder Morais (Indústria, Comércio e Serviços), Fabrício Amaral (Goiás Turismo) e Edival Lourenço (Cultura) durante uma homenagem ao peão boiadeiro “Chico Mineiro”, ídolo do imaginário sertanejo eternizado pela canção de Tonico e Tinoco. As autoridades acompanharam a chegada dos 25 cavaleiros da 1ª Cavalgada da Associação do Caminho de Cora Coralina. A poetisa também foi figura muito evocada na ocasião pelas comemorações de seus 130 anos de nascimento que movimentam a cidade de Goiás na terça-feira (20/08). Segundo Fabrício Amaral, a celebração a Chico Mineiro, nas terras onde ele foi assassinado, tornou o dia ainda mais especial. “Prestamos homenagem a sua memória, bem como a de Cora. São ações que fazem parte do nosso trabalho, que tem esse papel de perpetuar a história destas pessoas, principalmente entre as novas gerações, entre as quais se perderam alguns valores”, argumentou. Além da cruz de madeira sobre pedras e resquícios de cupinzal, que se confunde em meio à paisagem seca do cerrado, o local onde o corpo de Chico Mineiro foi encontrado, dentro da Fazenda Santa Helena, recebeu uma placa comemorativa, que foi descerrada após cantoria sertaneja cadenciada por toques de repique. Uma coroa de flores também foi depositada na cruz, completando a homenagem. O local será trecho integrante do Caminho de Cora Coralina, projeto turístico de 300 quilômetros cheio de cultura e beleza em que os turistas poderão ver de perto a história e os encantos de Goiás. “Mesmo sem recurso, estamos conseguindo desenvolver, até o fim do governo Ronaldo Caiado, boas ações na área do Turismo, que não vive sem respeito, experiência e sem trabalhar o ser humano. Com seriedade e transparência, vamos gerar emprego e renda a partir da Cultura”, afirmou Fabrício Amaral. Wilder Morais parabenizou os idealizadores da Cavalgada e garantiu que o Governo de Goiás, bem como sua pasta, proverá apoio total às atividades que exaltem a cultura goiana, tornando-a reconhecida no Brasil e no mundo. “Vocês terão nosso total apoio. Com certeza, nós vamos resgatar nossa história, nossa cultura, e fomentar a economia de toda esta região através do turismo”, afirmou. Edival Pinheiro contou aos presentes detalhes curiosos sobre a canção da “lenda que virou história e da história que virou lenda”. Em meio a tantas versões semelhantes, a história de Chico Mineiro ganhou versos de um porteiro que trabalhava na Rádio Tupi, onde Tonico e Tinoco tinham um programa musical. Baseado nas lendas que ouvia, escreveu um poema, que foi musicado pelo Tonico. “Essa canção entrou para historiografia da música sertaneja como sendo de Tonico e Tinoco. Depois da morte de Francisco Ribeiro, a família, munida de manuscritos, foi à Justiça, que deu ganho de causa e reconheceu a autoria da música ao Francisco, com melodia de Tonico”, completou. Na sequência, a tropa seguiu para alguns quilômetros adiante, nas ruínas da igreja do Arraial do Ouro Fino, fundado em 1727 por Bartolomeu Bueno da Silva Filho no período de busca pelo ouro no Rio Uru e Córrego de Praia. Na parada, mais canções foram entoadas. Entre elas, a versão original de “Chico Mineiro”. O grupo contou com presenças ilustres, como a do cantor Almir Pessoa e do icônico berranteiro Zé Capeta. A parada final foi no Arraial do Ferreiro, onde toda a comitiva recepcionou o governador Ronaldo Caiado. Também estiveram presentes o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Marcos Cabral; os prefeitos Selma Bastos (cidade de Goiás), João do Léo (Pirenópolis) e Wilmar Ferreira (São Francisco); a vice-prefeita da cidade de Goiás, Pastora Márcia; o presidente da Câmara de Vereadores, Aderson Liberato Gouvea; o neto de Cora Coralina, Paulo Bretas; o comandante do 4º Comando Regional da PM, coronel Ruberliro Rodrigues de Souza; o presidente da Organização Vilaboense de Artes e Tradições, Rodrigo Passarinho; além vereadores e outras lideranças locais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) Visitante

Deixe seu comentário.
Assim que o ler, publicarei e o responderei.
Volte para saber a resposta.

* Mas qualquer comentário ofensivo e insultuoso será
ignorado e não será respondido.

¸¸.•´¯`•.¸¸•.¸¸.•´¯`• Um abraço¸¸.•´¯`•.¸¸•.¸¸.•´¯`•

Leia também