.

.

HORA CERTA

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Governo Federal lança campanha de combate à exploração sexual infantil

Na última quinta-feira (1°), ocorreu o pré-lançamento da campanha “Criança
não é brinquedo”, que foi realizado na alfândega da Receita Federal de Foz do
Iguaçu no Paraná.
A campanha é uma iniciativa do Governo Federal, que pretende beneficiar
aproximadamente 50 mil crianças que vivem em situação de pobreza no país.
A campanha visa integrar ainda mais as políticas públicas de enfrentamento à
violência sexual.
Os responsáveis pela ação serão os seguintes: Ministério da Mulher, da
Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), por meio da Secretaria Nacional
dos Direitos da Criança e do Adolescente (SNDCA), Ministério da Defesa e
Ministério da Economia, por meio da Receita Federal do Brasil (RFB).
Para campanha foram arrecadadas cerca de 20 toneladas de brinquedos e
serão entregues cartilhas educativas para as crianças das regiões Norte e
Nordeste do Brasil, pois nessas localidades há mais índices de vulnerabilidade
social.
A campanha “Criança não é brinquedo” irá abordar também a temática do
desaparecimento de crianças. A companhia tem por objetivo combater a
violência sexual infantil e promover o acesso as políticas públicas protetivas,
para que a integridade e dignidade das crianças não sejam violadas.
Em Águas Lindas as unidades de proteção da criança e do adolescente são o
Conselho Tutelar (CT) e o Centro de Referência Especializado de Assistência
Social (CREAS).
As secretarias municipais de Assistência Social e Educação também oferecem
acompanhamento psicossocial para as crianças e adolescentes vítimas de
exploração sexual. É muito importante o combate a este mal, como descreve a
primeira-dama e secretária de Assistência Social da cidade, Aleandra Sousa.
“A exploração sexual infantil é um tema delicado, porém debatido nas escolas,
sejam municipais ou estaduais. Há também o acompanhamento de psicólogos
e assistentes sociais quando alguma situação é descoberta ou reportada. Os
nossos conselheiros tutelares estão sempre apostos para averiguar essas
situações e intervir conforme a lei.
A Secretaria de Assistência Social tem papel fundamental no que se refere ao
recebimento e acompanhamento desses casos. As nossas equipes são
especializadas para atender de forma sigilosa os casos, como também tem o
compromisso de acompanhar até a sua resolução e assim realizarem o
encaminhamento para as outras políticas públicas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) Visitante

Deixe seu comentário.
Assim que o ler, publicarei e o responderei.
Volte para saber a resposta.

* Mas qualquer comentário ofensivo e insultuoso será
ignorado e não será respondido.

¸¸.•´¯`•.¸¸•.¸¸.•´¯`• Um abraço¸¸.•´¯`•.¸¸•.¸¸.•´¯`•

Leia também