A notícia em primeira mão: Mãe é considerada foragida após queimar filha de 8 anos com colher, em Goiás

segunda-feira, 28 de março de 2022

Mãe é considerada foragida após queimar filha de 8 anos com colher, em Goiás

 Além de ter o corpo queimado com colher de metal, vítima também relata que foi vítima de outros tipos de agressões.

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia (DP) de Alvorada do Norte, concluiu inquérito policial, no qual se constatou que uma mulher, 26 anos, cometeu atos de tortura ao queimar filha de 8 anos.

A criança foi queimada em diversas partes do corpo, inclusive no rosto. De acordo com a vítima, a mãe queimou seu corpo com uma colher de metal aquecida no fogão porque contou ao Conselho Tutelar sobre agressões que sofria.

Conselho Tutelar visita casa da mãe da criança a pedido da autora do crime

Segundo constam nas investigações, o Conselho Tutelar de Alvorada do Norte foi acionado pela própria autora do crime. O objetivo era que os conselheiros tutelares conversassem com filho de 12 anos de idade, o qual supostamente estava rebelde.

Durante a visita do Conselho Tutelar, os conselheiros foram recebidos pela mãe da criança de 8 anos. Equipe que esteve no local notou hematomas no corpo da menor e a vítima foi encaminhada para o hospital municipal.

Após o encaminhamento, as lesões foram notificadas em relatório médico. Segundo a criança, a mãe lhe castigava por comer demais e, por isso, a agrediu com cipós e fios elétricos.

Na ocasião, a mãe da criança foi acionada pelos conselheiros tutelares e orientada a procurar ajuda da assistência social. No entanto, dias depois, o órgão foi novamente acionado.

Criança de 8 anos relata agressões como forma de castigo

De acordo com relato da criança de 8 anos, a progenitora agredia ela e seu irmão, com paus, cipós, fios e murros, e já chegou a privar os menores de se alimentarem.

Durante interrogatório realizado, a mãe da criança assumiu que queimou a filha de 8 anos com um colher de metal. Além disso, também assumiu outras agressões como forma de castigar seus filhos.

Um  mandado de prisão temporária contra a mulher de 26 anos foi deferido. Diversas diligências foram realizadas com o objetivo de localizar a autora do crime, considerada foragida.

As crianças estão sob a guarda da avó materna. Quem tiver notícias do paradeiro da autora do crime,  pode fazer denúncia ligando no telefone 197 ou na delegacia, (62) 3421-1028.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) Visitante

Deixe seu comentário.
Assim que o ler, publicarei e o responderei.
Volte para saber a resposta.

* Mas qualquer comentário ofensivo e insultuoso será
ignorado e não será respondido.

¸¸.•´¯`•.¸¸•.¸¸.•´¯`• Um abraço¸¸.•´¯`•.¸¸•.¸¸.•´¯`•

Leia também