A notícia em primeira mão: Dólar fecha em alta, no maior valor desde maio

quinta-feira, 1 de outubro de 2020

Dólar fecha em alta, no maior valor desde maio

 O dólar fechou em alta nesta quinta-feira (1º), em meio a dúvidas sobre o financiamento para o programa Renda Cidadã do governo Bolsonaro, mas esperanças sobre um pacote de estímulo econômico nos Estados Unidos ajudavam a conter a alta.

A moeda norte-americana encerrou o dia em alta de 0,65%, a R$ 5,6546, no maior valor de fechamento desde 20 de maio, quando ficou em R$ 5,6875. Na máxima do dia, chegou a R$ 5,6636. Veja mais cotações.

Com o resultado, a moeda acumula alta de 41,02% no ano.

O salto de mais de 40% do dólar contra o real na parcial do ano manteve a divisa brasileira na posição de pior desempenho dentro de uma cesta com mais de 30 moedas em 2020, segundo a Reuters.

O Banco Central fez nesta quinta-feira leilão de swap tradicional para rolagem de até 10 mil contratos com vencimento em março e julho de 2021.

Após críticas, ministro Paulo Guedes fala sobre o projeto Renda Cidadã
--:--/--:--

Após críticas, ministro Paulo Guedes fala sobre o projeto Renda Cidadã

Cenas local e externa

Por aqui, as preocupações fiscais seguiram dominado o radar dos investidores em meio à possibilidade de furo do teto de gastos devido ao impacto econômico da pandemia de Covid-19 e impasse sobre a fonte de recursos para bancar o novo programa social do governo, batizado de Renda Cidadã.

Após repercussão negativa, o ministro da Economia, Paulo Guedes, descartou na véspera o uso de dinheiro destinado ao pagamento de precatórios para bancar o Renda Cidadã. Depois das divergências sobre o financiamento do novo programa social, o presidente Jair Bolsonaro chamou Guedes e integrantes da equipe econômica para uma reunião de emergência no Palácio do Planalto na noite de quarta-feira.

Temores sobre a sustentabilidade das contas públicas têm dominado os mercados nas últimas semanas, somando-se a sinais de possível racha no governo entre Bolsonaro e Guedes, ministro que é considerado um dos pilares da atual gestão.

Já o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, rebateu a declaração de Guedes de que haveria boatos de que Maia, em acordo com a esquerda, teria travado a aprovação das privatizações. “Paulo Guedes quer desviar o foco do debate do teto de gastos. Ele não tem base, não tem voto para aprovar privatização e nem CPMF. E a culpa é dos outros?”, disse Maia ao Blog da Andréia Sadi.

Na agenda de indicadores, a Fundação Getulio Vargas mostrou que o Índice de Confiança Empresarial (ICE) subiu 3 pontos em setembro, para 97,5 pontos e retomou o patamar pré-pandemia.

La fora, a notícia de que o governo dos Estados Unidos entregou uma nova proposta de estímulo para os democratas da Câmara dos Deputados no valor de mais de US$ 1,5 trilhão animava os investidores internacionais nesta manhã, elevando a busca por divisas mais arriscadas, destaca a Reuters.

Dólar - 1.10.2020 — Foto: Economia G1

Dólar - 1.10.2020 — Foto: Economia G1


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) Visitante

Deixe seu comentário.
Assim que o ler, publicarei e o responderei.
Volte para saber a resposta.

* Mas qualquer comentário ofensivo e insultuoso será
ignorado e não será respondido.

¸¸.•´¯`•.¸¸•.¸¸.•´¯`• Um abraço¸¸.•´¯`•.¸¸•.¸¸.•´¯`•

Leia também