A notícia em primeira mão: Júri da boate Kiss: 2º dia termina com emoção de sobreviventes e intervenções fortes do juiz

quinta-feira, 2 de dezembro de 2021

Júri da boate Kiss: 2º dia termina com emoção de sobreviventes e intervenções fortes do juiz

 



Segundo dia do júri da Kiss teve embates entre advogados e promotores e primeiro depoimento de testemunha — Foto: Juliano Verardi / IMPRENSA TJRS

Segundo dia do júri da Kiss teve embates entre advogados e promotores e primeiro depoimento de testemunha — Foto: Juliano Verardi / IMPRENSA TJRS

O segundo dia de julgamento do incêndio da boate Kiss, nesta quinta-feira (2), no Foro Central de Porto Alegre, terminou marcado por discussões ásperas entre promotores e advogados e até uma intervenção mais veemente do juiz Orlando Faccini Neto. À tarde, também teve o primeiro depoimento de uma testemunha no processo, além de três sobreviventes.

Os sobreviventes Emanuel Pastl e Jéssica Montardo Rosado depuseram pela manhã na quinta-feira.

Emanuel citou elementos técnicos que, segundo ele, falharam na noite da tragédia. "Quando deu o princípio de incêndio, não soou nenhum alarme, não estava clara a rota de saída de emergência e também não teve iluminação. Eu não tinha visualização nenhuma. Não lembro de ter visto extintor", disse.

Já Jéssica contou sobre a perda do irmão. Segundo ela, ele entrou dentro da boate para tentar salvar outras pessoas. "Há relatos de bombeiros e pessoas que ajudaram, as pessoas acreditam que ele salvou de 14 a 15 pessoas, porque cada vez que ele ia ele voltava com dois. Eu queria ter feito mais mas eu não tive força", relatou.

O DJ Lucas Cauduro Peranzoni foi o último a falar, à noite, e chorou muito ao ver vídeo do incêndio na Kiss. O sobrevivente ainda confirmou que a boate usava baldes de espumante com artefatos piroténicos em apresentações.

"Eu desmaiei. Caí e fui muito pisoteado. Alguém me tirou de lá", disse Lucas para a promotora Lúcia Helena Callegari, aos prantos, para explicar por que não ajudou outras pessoas.

'Eu desmaiei', conta DJ que trabalhava na Kiss na noite do incêndio
--:--/--:--

'Eu desmaiei', conta DJ que trabalhava na Kiss na noite do incêndio

Reveja os depoimentos dos sobreviventes no dia anterior:

Testemunha critica uso de espuma

engenheiro Miguel Ângelo Teixeira Pedroso falou nesta quinta que teria desaconselhado o uso da espuma isolante na casa noturna. Ele foi a primeira testemunha incluída no processo e pediu preferência para ser ouvido, por isso ficou toda a tarde e parte da noite respondendo aos questionamentos.

"Só um leigo e ignorante na área poderia achar que espuma fosse conveniente dentro de uma boate", disse engenheiro.

Nesta sexta, serão ouvidos Daniel Rodrigues da Silva Gianderson Machado da Silva, a pedido do Ministério Público, e Pedrinho Antônio Bortoluzzi, solicitado pela advogada de Marcelo de Jesus, Tatiana Borsa. Ainda participará o sobrevivente Érico Paulus Garcia, que deve ser entrevistado no período da noite.

Tensão entre partes

Promotor e advogado discutem durante o júri da Kiss
--:--/--:--

Promotor e advogado discutem durante o júri da Kiss

Nesta quinta (2), também, houve uma série de momentos tensos entre as partes. Ora Ministério Público ora advogados questionavam a condução das perguntas. (Veja o vídeo acima)

Em um determinado momento, o juiz Faccini Neto interveio e classificou uma ação da defesa do réu Elissandro Spohr como "apelativa e desnecessária". O advogado Jader Marques chamou seu cliente para o centro do auditório e, frente a frente com uma sobrevivente do incêndio, questionou se ela tinha "ódio" do acusado (veja o vídeo abaixo).

Advogado pergunta se sobrevivente 'tem ódio' de réu da Kiss
--:--/--:--

Advogado pergunta se sobrevivente 'tem ódio' de réu da Kiss

Entre o depoimento da testemunha e do último sobrevivente, o magistrado sugeriu um intervalo, mas Jader Marques solicitou o encerramento das atividades. Como o DJ havia pedido para ser ouvido ainda na quinta, os jurados deliberaram por um recesso de 30 minutos, criticado pelo advogado.

O juiz, então, criticou e pediu que as partes se esforçassem para dar andamento ao processo. (Veja abaixo)

"Posso lhe dar minha comida, se o senhor quiser", enfatizou.

'Faça a sua comida e traga de casa', diz juiz para advogado em júri da Kiss
--:--/--:--

'Faça a sua comida e traga de casa', diz juiz para advogado em júri da Kiss

Mais tarde, quando o advogado Mário Cipriani, representante do empresário Mauro Hoffmann, perguntou ao engenheiro Pedroso se a espuma era tóxica e poderia comê-la, o depoente brincou. (Veja o vídeo)

"Vai lhe dar uma dor de barriga terrível", disse.

'Vai lhe dar uma dor de barriga terrível', diz engenheiro sobre chance de comer espuma
--:--/--:--

'Vai lhe dar uma dor de barriga terrível', diz engenheiro sobre chance de comer espuma

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) Visitante

Deixe seu comentário.
Assim que o ler, publicarei e o responderei.
Volte para saber a resposta.

* Mas qualquer comentário ofensivo e insultuoso será
ignorado e não será respondido.

¸¸.•´¯`•.¸¸•.¸¸.•´¯`• Um abraço¸¸.•´¯`•.¸¸•.¸¸.•´¯`•

Leia também