A notícia em primeira mão: Em Goiás, trabalhadores da Previdência Social aderem greve de servidores públicos federais

terça-feira, 5 de abril de 2022

Em Goiás, trabalhadores da Previdência Social aderem greve de servidores públicos federais

 Servidores decidem mantém a greve por tempo indeterminado; paralisação foi deflagrada no dia 23 de março

Servidores Públicos Federais (SPF) decidiram, nesta segunda-feira, 4, que devem manter a greve por tempo indeterminado. A paralisação, que havia sido deflagrada no dia 23 de março, é por reajuste e reestruturação de carreiras. Em Goiás, na base dos Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde e Previdência Social de Goiás e Tocantins (Sintfesp-GO/TO), a greve ampliou adesão de outras entidades. Até o momento, trabalhadores das Agências da Previdência Social (APSs) do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) também estão aptos à paralisação que foi aderida por mais 22 estados da federação.

A orientação da paralisação é do Comando Nacional de Greve, diante da ausência de resultado prático da audiência, realizada no dia primeiro de abril em Brasília, com representantes da Secretaria de Gestão de Pessoal do Ministério da Economia (SGP/ME). De acordo com o Comando, durante a reunião, o governo alegou não ter “nenhuma capacidade de negociar” um reajuste salarial dos SPFs, devido à falta de previsão no Orçamento da União.

A entidade também lembra que o governo federal prometeu um reajuste para 45 mil policiais federais e rodoviários federais, o que teria deixado de fora mais de 1 milhão de servidores de outras categorias. Segundo a Federação Nacional dos Sindicatos de Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps), o governo “deixou no ar uma única possibilidade, sem certeza de nada. Disse que, havendo disponibilidade, poderá adequar o orçamento até junho deste ano, mas condicionado, como foi afirmado em reunião no último dia 22, à aprovação do Projeto de Lei de Crédito Suplementar (PLN nº 01) pelo Congresso Nacional”.

Em Goiás, um ato também está sendo organizado para esta terça-feira, 5, em frente a APS Goiânia Centro (INSS) às dez horas da manhã, junto a Federação dos Trabalhadores Rurais na Agricultura Familiar do Estado de Goiás (Fetaeg) e Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag). Uma visita ao APS do Goiânia Centro com a e também está programada para a quarta-feira, 6. Passando também pelo Núcleo do Ministério da Saúde às dez e meia da manhã.  

Reivindicações

Entre as principais reivindicações dos servidores está a recomposição salarial, correspondente às perdas de 2019, 2020 e 2021. Além da revogação da Emenda Constitucional 95, que propõe um ajuste fiscal, que proíbe por 20 anos investimentos em políticas públicas e sociais. Incluindo também o arquivamento da Proposta a Emenda 32, da contrarreforma administrativa.

Além disso, há também uma solicitação de uma garantia no orçamento adequado para o funcionamento do INSS. Visando agilizar o atendimento, revisar os processos indeferidos indevidamente, melhorar as plataformas INSS Digital e Meu INSS, que, de acordo 

   

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado(a) Visitante

Deixe seu comentário.
Assim que o ler, publicarei e o responderei.
Volte para saber a resposta.

* Mas qualquer comentário ofensivo e insultuoso será
ignorado e não será respondido.

¸¸.•´¯`•.¸¸•.¸¸.•´¯`• Um abraço¸¸.•´¯`•.¸¸•.¸¸.•´¯`•

Leia também